A EDUCAÇÃO NA RESTAURAÇÃO LEMISTA DA IGREJA: A MISSÃO DE TRISTÃO DE ATHAYDE E STELLA DE FARO NO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E SAÚDE PÚBLICA: 1934-1945

Peri Mesquida

Resumo


Se o padre Julio Maria foi um verdadeiro interprete e oráculo da ortodoxia católica no final do século XIX e início do século XX, encetando campanhas de divulgação do pensamento católico e de chamamento à Santa Madre Igreja aos católicos de nome, mas não de prática e de ação, Dom Sebastião Leme, a partir de 1916, desencadeará uma ação nacional, inicialmente a partir do Nordeste (Recife), depois tendo como centro irradiador da dinamização da Igreja, o Rio de Janeiro, no sentido de apressar a restauração. Dom Leme irá centrar sua ação no chamamento dos intelectuais católicos. Para tanto, fundou no Rio de Janeiro, em 1921 e 1922, a revista A Ordem e o Centro Dom Vital, órgãos de difusão do pensamento católico e de preparação de intelectuais. De Jackson de Figueiredo a Alceu de Amoroso Lima, Gustavo Capanema e Stella de Faro, entre outros, a investida de Dom Leme por meio da intelectualidade católica para disseminar as ideias e princípios católicos e exercer influência política, foi significativa e expressiva. No período em que Gustavo Capanema foi Ministro da Educação e da Saúde, a Dom Leme procurou exercer influência no governo e sobre a sociedade por meio dos seus “braços” cultos no Ministério: Alceu de Amoroso Lima e Stella de Faro. Enquanto Tristão de Athayde procurava colocar católicos em postos chave do Ministério, Stella de Faro procurava participar de Comissões cujas decisões poderiam favorecer a presença da Igreja na sociedade, em particular pelo reconhecimento da mulher como mestra, cidadã (exercício político do voto) e pela sua presença em obras de serviço social.

Texto completo:

PDF

Referências


BRUNEAU, T. C. Catolicismo brasileiro em época de transição. São Paulo: Loyola, 1974.

CARTA ENCÍCLICA IN PLUMIRIS SOBRE A ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA. Carta aos Bispos do Brasil. Petrópolis: Vozes, 1987.

CORRESPONDÊNCIA de Alceu de Amoroso Lima, Gustavo Capanema e Stella de Faro (facsímiles: arquivo do autor).

GRAMSCI, A. Quaderni del cárcere. Torino: Einaudi, 1975.

LIMA, A. A. Mensagem de Roma. Rio de Janeiro: Agir, 1950.

______. Ordem. São Paulo: Autêntica, 1961.

______. Elementos de ação católica. Rio de Janeiro: ABC, 1958.

LEME, S. Carta pastoral. Olinda: [s.n.], 1916.

______. Instruções para a organização e funcionamento das comissões permanentes da conferência católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typographia Leutzinger, 1922.

LUSTOSA, O. F. Política e igreja: o partido católico no Brasil, mito ou realidade. São Paulo: Paulinas, 1982.

QUEM É QUEM NO SERVIÇO SOCIAL. Debates sociais: centro brasileiro de cooperação e intercâmbio de serviços sociais. Rio de Janeiro: CBCISS, 1984-1985.

SANTO ROSARIO. Dom Leme. Rio de Janeiro: Agir, 1962.

SCHWARTZMAN, S. Tempos de Capanema. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

______. Universidade e instituições científicas no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: CNPq, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v9i27.3577

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat