DESCREVER O BULLYING NA ESCOLA: estudo de um agrupamento de escolas no interior de Portugal

Beatriz Pereira, Marta Iossi Silva, Berta Nunes

Resumo


O bullying define-se como o comportamento agressivo entre pares, intencional e continuado. O bullying na escola registra-se em diferentes tipos tais como o físico, verbal e indirecto e em diferentes espaços. O objectivo desta investigação foi diagnosticar o bullying na escola e caracterizar as crianças vítimas quanto à prevalência, ISSN 1518-3483 Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 9, n. 28, p. 455-466, set./dez. 2009 Licenciado sob uma Licença Creative Commons 1 Neste artigo, escrito em português de Portugal, foram preservadas as grafias e normas do país de origem. 456 PEREIRA, B.; SILVA, M. I.; NUNES, B. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 9, n. 28, p. 455-466, set./dez. 2009 formas e locais de ocorrência do bullying. Também pretendemos, com base nos resultados e no conhecimento sobre programas de intervenção implementados, descrever um plano a ser levado a cabo pelo agrupamento em estudo. Foi aplicado um questionário adaptado de Olweus num agrupamento de escolas do Nordeste Transmontano, no interior de Portugal. As conclusões apontaram para a disseminação do bullying, cerca de uma em cada quatro crianças foi vítima de agressão pelos pares três ou mais vezes, na escola; verifica-se que existe grande diversidade de tipos de bullying, sendo os mais difundidos o recurso ao insulto seguido da agressão física. Quanto aos locais, o recreio foi o espaço mais mencionado apesar de ser um espaço muito valorizado pelas crianças. Os valores percentuais registados recomendam a intervenção que descrevemos de forma sumária.

Texto completo:

PDF

Referências


BOND, L. et al. Does bullying cause emotional problems? A prospective study of young teenagers. British Medical Journal, London, v. 323, n. 73311, p. 480-484, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Violência faz mal à saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. (Textos Básicos de Saúde).

JANKAUSKIENE, R. et al. Associations between school bullying and psychosocial factors. Social Behavior and Personality, New Zealand, v. 36, n. 2, p. 145-162, 2008.

MINAYO, M. C. S. Relaciones entre procesos sociales, violência y calidad de vida. Salud Coletiva, La Plata, v. 1, n. 1, p. 69-78, 2005.

NANSEL T. R. et al. Bullying behavior among US youth: prevalence and association with psychosocial adjustment. Journal of American Medical Association, Chicago, v. 285, n. 16, Apr. 25, p. 2094-2100, 2001.

OLIVEIRA, A. S.; ANTONIO, P. S. Sentimentos do adolescente relacionados ao fenômeno bullying: possibilidades para a assistência de enfermagem nesse contexto. Rev. Eletr. Enf. [Internet]., Goiás, v. 8, n. 1, p. 30-41, 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2008.

OLWEUS, D. Prevalence and incidence in the study of anti-social behavior: definitions and measurement. In: KLEIN, M. (Ed.). Cross-national research in self-reported crime and delinqency. Dordrecht, The Netherlands: Kluwer, 1989. p. 187-201.

______. Bullying at school: what we know and what we can do. Oxford: Cambridge, 1993.

PEREIRA, B. Oestudo e prevenção do bullying no contexto escolar: os recreios e as práticas agressivas da criança. 1997. 506 f. Dissertação (Doutoramento em Estudos da Criança) – Universidade do Minho, Instituto de Estudos da Criança, Braga, 1997.

PEREIRA, B. O. et al. O bullying nas escolas portuguesas. Análise de variáveis fundamentais para a identificação do problema. In: ALMEIDA, L.; SILVÉRIO, J.; ARAÚJO, S. (Org.). Actas do II Congresso Galaico-Português de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho, 1996. p. 71-81.

______. A violência na escola: formas de prevenção. In: PEREIRA, B.; PINTO,

A. P. (Coord.). A escola e a criança em risco: intervir para prevenir. Porto: Edições Asa, 2001. p. 17-30.

______. O bullying na escola e as políticas educativas. In: BEHRENS, M. A.;

ENS, R.; VOSGERAU, D. (Org.). Discutindo a educação na dimensão da práxis. Curitiba: Champagnat, 2007. p. 203-218.

PEREIRA, B. et al. Bullying in portuguese schools. School Psychology International, London, v. 25, n. 2, p. 207-222, 2004.

PEREIRA, B. O. P. Para uma escola sem violência: estudo e prevenção das práticas agressivas entre crianças. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2008.

SMITH, P.; SHARP, S. Scholl bullying: insights and perspectives. New York: Routledge, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v9i28.3169

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat