A formação de professores para a educação infantil no limiar dos vinte anos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96

Marilúcia Antônia de Resende Peroza, Pura Lúcia Oliver Martins

Resumo


A necessidade de consolidar uma formação de professores condizente com as demandas do mundo contemporâneo tem mobilizado muitos pesquisadores e educadores a buscar uma aproximação entre a formação docente e a transformação da prática pedagógica. O limiar dos vinte anos de promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN/96), torna-se um momento importante para reavaliar as mudanças que essa lei proporcionou, bem como apontar os desafios impostos pelo contexto atual. O presente artigo pretende abordar a formação inicial de professores da educação infantil, cujas alterações, promovidas pela LDBEN/96, delinearam novas perspectivas para o curso de Pedagogia e nova identidade para as instituições que atendem a criança. Discute-se o processo formativo desenvolvido no curso de Pedagogia como primeiro passo na construção da profissionalidade docente para atuar com a primeira infância, a partir das especificidades dessa etapa educativa. Trata-se de um estudo exploratório, com o intuito de levantar informações a respeito da temática para posterior aprofundamento (SEVERINO, 2007), cuja análise toma como eixo epistemológico a teoria enquanto expressão da prática dos sujeitos no processo educativo (MARTINS, 2006). Este texto defende a necessária relação entre teoria e prática na formação de professores na área da formação inicial, tendo como base os estudos de Garcia (1999), Machado (2000), Cerisara (2002), Kishimoto (2004), Saviani (2009), Gatti e Barreto (2009), Gomes (2009), Sarmento (2013), entre outros. O estudo conclui que há especificidades no âmbito da prática educativa com as crianças que ainda precisam ser consideradas nas propostas de formação inicial de professores.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] União, ano CXXXIV, n. 248, p. 27.833-27.841, 23 dez. 1996.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, Licenciatura. Diário Oficial [da] União , Brasília, 16 mai. 2006, Seção 1, 11p.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/CNE/CEB, 2009.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Plano Nacional de Educação. Brasília: MEC, 2001.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho da 2014. Plano Nacional de Educação . Brasília: MEC, 2014.

CERISARA, A. B. O Referencial Curricular Nacional para a educação infantil no contexto das reformas. Educação e Sociedade , v. 23, n. 80, p. 326-345, set. 2002. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2016.

FREITAS, H. C. L. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação e Sociedade , v. 28, n. 100, p. 1203-1230, out. 2007.

GARCIA, C. M. Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. S. (Coord.). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

GOMES, M. O. Formação de professores na educação infantil. São Paulo: Cortez, 2009.

KISHIMOTO, T. M. O sentido da profissionalidade para o educador da infância. In: BARBOSA, R. L. L. (Org). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

KUHLMANN JR, M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. 1. ed. Porto Alegre: Mediação, 1998.

MACHADO, M. L. A. Desafios iminentes para projetos de formação de profissionais para Educação Infantil. Cadernos de Pesquisa , n. 110, p. 191-202, jul. 2000.

MARTINS, P. L. O. Didática teórica, didática prática: para além do confronto. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

PINHEIRO, G. C. G.; ROMANOWSKI, J. P. Curso de Pedagogia: formação do professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, v. 2, n. 3, p. 136-151, ago./dez. 2010. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2016.

RODRIGUES, M. F.; KUENZER, A. Z. As diretrizes curriculares para o curso de Pedagogia: uma expressão da epistemologia da prática. Revista Olhar de Professor , v. 10, n. 1, p. 35-62, 2007. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2016.

SARMENTO, M. J. A Sociologia da Infância e a sociedade contemporânea: desafios conceituais e praxeológicos. In: ENS, R. T.; GARANHANI, M. C. Sociologia da Infância e a formação de professores. Curitiba: Editora Champagnat, 2013. p. 13-46.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação , v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico . 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.16.050.DS01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat