A obra Prática da Escola Serena: autoeducação e formação cultural como princípios educativos

Rossano Silva

Resumo


O presente artigo pretende explorar a obra Prática da Escola Serena, escrita em 1946, pelo intelectual paranaense Erasmo Pilotto (1910-1992), mostrando o papel dado à cultura e à autoeducação como princípios educativos. A obra constituiu-se numa síntese das ações protagonizadas pelo intelectual durante sua atuação na Escola de Professores de Curitiba e no Instituto Pestalozzi, no período de 1938 a 1947. A ação nesses espaços permitiu à Pilotto atuar no campo educacional, integrando a cultura e a educação na formação de uma cultura geral para os professores. Essa concepção teve como uma de suas fontes a interlocução das concepções educacionais do filósofo italiano Giovanni Gentile, que foram ressignificadas pelo intelectual em suas obras e iniciativas no campo educacional paranaense. As leituras dadas pelo intelectual às teses de Gentile motivaram-no a conceber a formação de professores, apoiado em uma ampla cultura geral e não em uma formação baseada apenas na prática. Para alcançar os objetivos desta investigação, será utilizada a teoria praxiológica de Bourdieu, o que permitirá analisar as interações do intelectual no campo educacional.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.061.DS09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat