Inclusão digital e práticas de leitura em um telecentro de uma comunidade quilombola

Maria Jacy Maia Velloso, Maria Lúcia Castanheira

Resumo


No contexto de implementação de políticas públicas de inclusão digital no território brasileiro,
o artigo analisa as práticas de leitura associadas ao uso do computador e da internet
em um telecentro de uma comunidade quilombola, Paineiras, situada ao norte de Minas
Gerais, Brasil. Foram adotadas a abordagem do Letramento como Prática Social e uma
perspectiva etnográfica para a análise de como e porquê os usuários do telecentro utilizam
o computador e a internet e que ações e interações desenvolvem com o estabelecimento
desse telecentro na comunidade. A análise dos eventos de leitura observados no telecentro
tornou visível duas modalidades de uso dos computadores, que foram classificadas
como modalidade de uso livre e modalidade de uso orientado. O contraste entre essas
modalidades evidenciou que as práticas de leitura na primeira modalidade estavam mais 

diretamente vinculadas a interesses pessoais e funções sociais da escrita no contexto digital, particularmente a comunicação com amigos e parentes em redes sociais. Em contraposição, as práticas de leitura desenvolvidas de maneira orientada durante o curso de informática oferecido aos moradores de Paineiras, apresentaram natureza descontextualizada e sem vínculos com as experiências e necessidades vivenciadas pelos alunos em outros espaços sociais, privilegiando o ensino das funções dos softwares (e.g. Excel, Word). Evidenciou-se que as reivindicações, as necessidades, os conhecimentos e os interesses da população não têm sido consideradas no processo de desenvolvimento de cursos de inclusão digital, o que desmotiva os alunos a participarem das atividades propostas e limita as possibilidades de aprendizagem por parte deles.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.060.DS13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat