ESCOLA NOVA, PRAGMATISMO DEWEYANO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: algumas(des)considerações

Márcio Antônio Cardoso Lima

Resumo


Este artigo pretende analisar a concepção epistemológica da Educação presente na obra de  John Dewey, enquanto eixo orientador da gênese do conceito de professor reflexivo, especificamente  quanto ao conceito expresso nos trabalhos de  Zeichner e Schön. Em seguida, propõe relações entre essa análise e os trabalhos apresentados pelo livro Professor reflexivo n o Brasil; gên ese e c rític a de u m c on c eito, editado em São Paulo pela Cortez em 2000, com a organização de Selma Garrido Pimenta e Evandro Ghedin. O enfoque da análise e suas aplicações são críticos, no sentido de não haver o tema  considerado a produção acadêmica de teóricos brasileiros que há anos vêm manifestando sua luta em defesa de  u m en sin o dem oc rátic o, qu e leve em c on ta a partic ipaç ão e a c riatividade daqu eles professores qu e aden tram o espaç o u n iversitário para repen sar, teoric am en te, su a prátic a. Essa proposta metodológica vem desde Paulo Freire em defesa da postura epistemológica de que a teoria expressa ações práticas e de que a form aç ão perm an en te se fu n da n a prátic a de an alisar a prátic a, segundo o próprio Freire. A principal diferença seria ideológica e a crítica pretende recolocar a questão, contextualizando-a segundo o princípio educativo do trabalho na sociedade. 

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto, 1996. 189 p.

BERNARDO, João. Marx crítico de Marx. Porto: Afrontamento, 1977. v. 1. 375 p.

______. Depois do marxismo, o dilúvio? Educação & Sociedade, Campinas, n. 43, p. 393-412, dez. 1992.

______. Economia dos conflitos sociais. São Paulo, SP: Cortez, 1991. 371 p.

______. Estado: a silenciosa multiplicação do poder. São Paulo, SP: Escrituras, 1998. 133 p.

______. Transnacionalização do capital e fragmentação dos trabalhadores: ainda há lugar para os sindicatos? São Paulo, SP: Boitempo, 2000. 98 p.

BRUNO, Lúcia. Acerca do indivíduo, da prática e da consciência da prática. Educação & Sociedade, São Paulo, SP, n. 33, p. 7-27, ago. 1989.

CARR, Wilfred. Una teoría para la educación: hacia una investigación educativa crítica. Trad. Pablo Manzano. 2. ed. Madrid: Morata, 1999. 173 p.

CASTORIADIS, Cornelius. A experiência do movimento operário. Trad. Carlos Nelson Coutinho. São Paulo, SP: Brasiliense, 1985. 258 p.

CHANCELLOR, Edward. Salve-se quem puder: uma história da especulação financeira. Trad. Laura Teixeira Motta. São Paulo, SP: Cia. das Letras, 2001.

CUNHA, Marcus Vinícius da. J ohn Dewey: uma filosofia para educadores em sala de aula. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1998. 89 p.

DEWEY, John. Como pensamos: como se relaciona o pensamento reflexivo com o processo educativo: uma reposição. São Paulo, SP: Cia. Editora Nacional, 1959. 292p.

______. Experiência e natureza; Lógica: a teoria da investigação: A arte como experiência: vida e educação: teoria da vida moral. Trad. Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme et al. São Paulo, SP: Abril Cultural, 1980. 323 p.

ELLIOT, John. La investigación-acción en educación. Trad. Pablo Manzano.

ed. Madrid: Morata, 1997. 334 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1987. 184 p.

______. Política e educação. 4. ed. São Paulo, SP: Cortez, 2000. 119 p.

GERARDI, Corinta Maria Crisolia et al. (Orgs.). Cartografias do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998. 335 p.

KANITZ, Stephen. Volta às aulas. Veja, São Paulo, SP, n. 1634, fev. 2000. Disponível em: http:://. Acesso em: 05 jan. 2003.

______. Revolucione a sala de aula. Veja, São Paulo, v. 33, n. 42, out. 2000. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2003.

LEMOS, André et al. (Org.). Globalização e educação: mercado de trabalho, tecnologias de comunicação, educação a distância e sociedade planetária. 2. ed. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2000. 114 p.

LIMA, Márcio A. C. O ensino de Filosofia e suas contradições. Governador Valadares: Editora da Univale, 2002. 108 p.

LISTON, D. P. ; ZEICHNER, K. M. Formación del profesorado y condiciones sociales de la escolarización. Trad. Pablo Manzano. Madrid: Morata, 1993. 277 p.

MARTINS, Pura Lúcia Oliver. Didática teórica/ didática prática: para além

do confronto. São Paulo, SP: Loyola, 1989. 181 p.

______. Didática: um aprendizado crítico dentro da própria prática. Revista Ande, v. 12, n. 19, p. 23-28, 1993.

______. A relação conteúdo-forma: expressão das contradições da prática pedagógica na escola capitalista. In: VEIGA, Ilma P. Alencastro (Org.). Didática: o ensino e suas relações. 2. ed. Campinas: Papirus, 1997. p. 77-103.

______. A didática e as contradições da prática. Campinas: Papirus, 1998. 176 p.

NÓVOA, António (Org.). Os professores e a sua formação. Trad. Graça

Cunha et al. Lisboa: Dom Quixote, 1995. 158 p.

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo, SP: Cortez, 2000. 224 p.

RAMALHO, Priscila. Entrevista: Domenico De Masi. Revista Nova Escola, São Paulo, SP, n. 136, p. 9-12, out. 2000.

ROCHA, João Augusto de Lima. Anísio em movimento. Brasília: Senado

Federal, 2002. 304 p.

RORTY, Richard. Pragmatismo: a filosofia e a criação e da mudança. In:

MAGRO, Cristina PEREIRA, Antonio Marcos (Orgs). _____ . Belo Horizonte:Editora UFMG, 2000. 190 p.

SANTOS, Oder José dos. A pedagogia dos conflitos sociais. Campinas:

Papirus, 1992. 146 p.

SCHÖN, Donald. The reflective practitioner. Nova York: Basic Books, 1983.

______. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino

e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artes Médicas do Sul, 2000. 256 p.

STENHOUSE, Lawrence. La investigación como base de la enseñanza.

Trad. Guillermo Solana. Madrid: Morata, 1987 . 183 p.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 11. ed. São Paulo, SP:

Cortez, 2002.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma

crítica ao pensamento de Althusser. Trad. Waltensir Dutra. Rio de Janeiro, RJ:Zahar, 1981. 231 p.

TRAGTENBERG, Maurício. Burocracia e ideologia. São Paulo, SP: Ática, 1980. 228 p.

______. Sobre educação, política e sindicalismo. 2. ed. São Paulo, SP:

Autores Associados, 1990. 163 p.

VASQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. Trad. Luiz Fernando

Cardoso. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1977. 454 p.

ZEICHNER, Kenneth M. A formação reflexiva de professores: idéias e

práticas. Lisboa: Educa, 1993. 131 p.




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v4i10.6431

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat