FORMAÇÃO PARA O ENSINO DE DANÇA: PENSAMENTO DE PROFESSORES

Luciana Rosa Gualda, Ana Maria Falcão de Aragão Sadalla

Resumo


A busca pela estética e pela perfeição técnica faz com que a dança perca o seu sentido expressivo e passe a ser a pura mecânica de execução de movimentos, destruindo a liberdade na dança e limitando as capacidades imaginativas e criativas dos alunos. Alguns profissionais propõem um ensino de dança baseado na reflexividade, no qual o corpo é visto como uma rica fonte de conhecimento e que, quando não objetificado, pode ser o lugar para a reflexão crítica, propondo desvincular a rigidez técnica em busca de uma libertação na dança e de um respeito à diversidade dos corpos. Foram realizadas entrevistas com cinco docentes de notória experiência nesta forma de ensino com o objetivo de analisar sua concepção de ensino e de trabalho com o corpo. Se por um lado os professores entrevistados acreditam que a licenciatura é importante para a formação, por outro, os pesquisadores afirmam que os professores de dança não estão preparados para atuar nas escolas. Este artigo vem propor uma discussão e reflexão sobre ensino de dança, tendo como foco principal o entendimento de que este ensino deve sempre buscar o desenvolvimento da criatividade e expressividade, almejando uma maior proximidade entre educação e dança na formação de professores e uma valorização do ensino de dança nas escolas regulares.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARRETO, Débora. Dança... ensino, sentidos, e possibilidades na escola. 2001. 217 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

FERREIRA, Angela. Dança criativa: uma nova perspectiva do ensino e da criação. In: CALAZANS, Julieta; CASTILHO, Jacyan; GOMES, Simone (Coord.). Dança e educação em movimento. São Paulo: Cortez, 2003. p. 265-271.

FIAMONCINI, Luciana. Dança na educação: a busca de elementos na arte e na estética. Revista Pensar a prática: Revista da Pós Graduação em Educação Física, Goiânia, v. 6, p. 59-72, jul./jun. 2002-2003.

MARQUES, Isabel. Ensino de dança hoje: textos e contextos. São Paulo: Cortez, 2001.

______. Dançando na escola. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MORANDI, Carla Silva Dias de Freitas. Passos, compassos e descompassos no ensino de dança nas escolas. 2005. 93 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

MOURA, Kátia Cristina Figueredo de. Essas bailarinas fantásticas e seus corpos maravilhosos: existe um corpo ideal para a dança? 2001. 205 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

NANNI, Dionísia. Ensino da dança. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

PEREIRA, Sybelle Regina Carvalho. Dança na escola: princípios didático-pedagógicos fundamentados na psicologia histórico-cultural de Vygotsky. 1997. 162 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1997.

PREGNOLATTO, Daraína. Criandança: uma visita à metodologia de Rudolf Laban. Brasília: L. G. E, 2004.

SADALLA, Ana Maria Falcão de Aragão et al. Teorias implícitas na ação docente: contribuição teórica ao desenvolvimento do professor prático-reflexivo. In: AZZI, Roberta Gurgel; BATISTA, Sylvia Helena de Souza Silva; SADALLA, Ana Maria Falcão de Aragão (Org.). Formação de professores: discutindo o ensino de psicologia. Campinas: Alínea, 2000.

SANTOS, Rosirene Campêlo dos; FIGUEIREDO, Valéria Maria Chaves. Dança e inclusão no contexto escolar, um diálogo possível. Revista Pensar a prática: Revista da Pós-Graduação em Educação Física, Goiânia, v. 6, p. 107-116, jul./jun. 2002-2003.

SHAPIRO, Sherry. Em direção a professores transformadores: perspectivas crítica e feminista para o ensino da dança. Revista Proposições, Campinas, v. 9, n. 2 [26], p. 35-45, 1998.

STRAZZACAPPA, Marcia. A educação e a fábrica de corpos: a dança na escola. Caderno CEDES, v. 21, n. 53, p. 69-83. abr. 2001.

______. Prodança-criança-escola: os projetos de ensino de dança em Campinas/SP- integrando universos. Anais da 9a conferência da DACI. Revista da FSBA, Salvador, v. 2, p. 273-278, ago. 2003.




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v8i23.4021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat