Formação continuada: o processo de incorporação das novas tecnologias de informação e comunicação no trabalho do professor universitário

Márcia Souza Hobold, Silvia Simão de Matos

Resumo


A formação continuada é um processo que perpassa a vida profisisonal dos professores e está presente tanto nos espaços formais de aprendizagem, quanto nas experiências reflexivas decorrentes das atividades profissionais docentes. Considerando esta temática, o presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo estudar o processo de desenvolvimento profissional de uma professora universitária diante da utilização das novas tecnologias de informação e comunicação (TICs) na sua prática docente. A coleta de dados contemplou: 1) a identificação de diferentes aspectos relacionados ao desenvolvimento do professor nos contextos pessoal, social e profissional; 2) o relato das principais mudanças apresentadas na sua prática docente a partir do uso das TICs; e 3) o reconhecimento dos estímulos internos e externos envolvidos no processo de mudança quanto ao uso de ferramentas tecnológicas. A professora pesquisada, identificada como Ana, trabalha há 54 anos na docência, dos quais, 33 anos como professora formadora do ensino superior. Fundamentaram teoricamente a pesquisa Huberman (1992), Vygotsky (1993, 2000), Lévy (1997), Romanowski (2007), Santos (2002) e Nóvoa (2000). Os resultados apontaram para a influência de significações constituídas no âmbito pessoal e profissional, destacando-se características como aprendizado constante, investimento permanente na sua formação, atuação com foco no aluno e estudo e desenvolvimento de estratégias inovadoras para o processo ensino-aprendizagem. A prática docente da professora formadora é permeada pela abstração e generalização de conceitos apreendidos nas interações sociais, culturais e históricas. A professora demostrou que, independente da idade, continua investindo na constituição da sua profissionalidade docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. E. D. A. de. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Líber Livro, 2005.

GOODSON, I. F. Dar voz ao professor: as histórias de vida dos professores e o seu desenvolvimento profissional. In: NÓVOA, A. (Org.). Vida de professores. Portugal: Porto, 2000. p. 79-110.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NOVOA, A. Vidas de professores. Porto: Porto, 1992. p. 31-61.

JESUS, S. N. de; SANTOS, J. C. V. Desenvolvimento profissional e motivação dos professores. Revista Educação, ano 27, n. 1, p. 39-58, 2004. Disponível em:

. Acesso em: 19 nov. 2008.

LÉVY, P. O que é virtual? São Paulo: Editora 34, 1997.

MATTOS, S. A revolução dos instrumentos de comunicação com os públicos: como atingir com eficácia os públicos da empresa em tempo de internet e super rodovia da informação. Porto Alegre: Comunicação Integrada Editores, 1995.

______. Os modernos instrumentos de comunicação organizacional. Rastros – Revista virtual do Núcleo de Estudos em Comunicação, ano 3, n. 3, 2001.

Disponível em:

article/view/6058/5524>. Acesso em: 20 nov. 2008.

NÓVOA, A. Vida de professores. Portugal: Porto Editora, 2000.

ROMANOWSKI, J. P. Formação e profissionalização docente. Curitiba:

Ibpex, 2007.

SANTOS, L. L. de C. P. Formação de professores e saberes docentes. In:

SHIGUNOV NETO, A. S.; MACIEL, L. S. B. (Org.). Reflexões sobre a

formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2002. p. 89-102.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

______.Vygotsky: manuscrito de 1929. Revista Educação e Sociedade, v. 21, n. 71, p. 24-40, 2000.




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v10i30.2437

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat