Grupos de interlocução como técnica de produção e sistematização na pesquisa em educação

Liliana Soares Ferreira, Bruna Pereira Alves Fiorin, Cláudia Letícia de Castro do Amara, Mariglei Severo Maraschin

Resumo


Este artigo discute a pesquisa em educação na atualidade, considerando o viés da perspectiva crítica de apreensão do real, e a utilização de grupos de interlocução como técnica apropriada a ela. Inclusa no campo educacional, a pesquisa formaliza-se, passa a ser uma ação pedagógica cujos objetivos revelam a intencionalidade da instituição e do pesquisador. O grupo de interlocução é apresentado como um momento de interação entre pesquisador e sujeitos da pesquisa a fim de socializar os resultados do estudo e discutir sobre estes dados e sobre questões que ainda necessitam ser ampliadas. Através da linguagem, cada um dos sujeitos da pesquisa apresenta suas concepções, influenciados por suas experiências, mas, a partir deste momento de diálogo e interação, terão a possibilidade de socializar e problematizar o tema pesquisado com sujeitos que, possivelmente, tem algo comum entre si devido a sua proximidade com a pesquisa desenvolvida. Considera-se que o grupo de interlocução é mais do que uma coleta, apresentação ou quantificação de dados, é um momento de problematização conjunta acerca da pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


CINDRA, J. L. A Física e as Leis da Dialética. Revista Brasileira de Ensino de Física. v. 20, n. 2, jun. 1998.

ENGELS, F. A dialética da Natureza. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

ENGELS, F. Ciência da Lógica: excertos. Trad. Marco Aurélio Werle. São Paulo: Editora Barcarolla, 2011.

FERREIRA, L. S. Trabalho, profissionalidade e escola no discurso das professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. 2006. 293 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

FERREIRA, L. S. Gestão do Pedagógico: de qual pedagógico se fala? Currículo sem Fronteiras, v. 8, n. 2, p. 176-189, jul./dez. 2008.

FERREIRA, L. S. Pedagogia como ciência da educação: retomando uma discussão necessária. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, v. 91, n. 227, p. 233-251, jan./abr. 2010.

FIORIN, B. P. A. Trabalho e pedagogia: considerações a partir dos discursos de pedagogas na escola. 2012. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

FRIGOTTO, G. Educação, crise do trabalho assalariado e do desenvolvimento: teorias em conflito. In: FRIGOTTO, G. Educação e crise do trabalho: perspectivas do final do século. Petrópolis: Vozes, 1998.

GADAMER, H-G. Verdade e Método II. Complementos e índice. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2007.

GATTI, B. A. Formação de grupos e redes de intercâmbio em pesquisa educacional: dialogia e qualidade. Revista Brasileira de Educação, n. 30, p. 124-181, set./dez. 2005.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

KUENZER, A. Desafios teórico-metodológicos da relação trabalho-educação e o papel social da escola. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. 11. ed. Petropolis: Vozes, 2012. p. 55-75.

MARQUES, M. O. Educação/interlocução, aprendizagem/reconstrução de saberes. Ijuí: Editora Unijuí, 1996.

MINAYO, M. C. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

PALMER, R. E. Hermenêutica. Trad. Maria L. R. Ferreira. Lisboa: Edições 70, 1999.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

TRIVIÑOS, A. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

VIEIRA PINTO, A. Ciência e existência: problemas filosóficos da pesquisa científica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

WERLE, F. Pós-Graduação e suas interlocuções com a Educação Básica. Educação, v. 35, n. 3. p. 424-433, set./dez. 2012.




DOI: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.041.DS09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat