FORMAÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM UNIVERSIDADES: PROCESSO FORMAL, NEGOCIADO OU CONSTRUÇÃO PERMANENTE?

Luiza Maria Bessa Rebelo, Rolf Hermann Erdmann

Resumo


O presente artigo analisa o processo de formação de estratégias em organizações universitárias, na tentativa de compreender como se dá tal construção: se há um processo formal, negociado ou contínuo. O trabalho fundamenta-se na literatura da área, com destaque para duas perspectivas que vêm ganhando força na teoria das organizações: a perspectiva da estratégia como deliberação, intencionalidade e planejamento antecipado; e estratégia como processo dinâmico e emergente, decorrente das interações entre os agentes presentes no cotidiano das organizações. A literatura evidencia que ambas as perspectivas são igualmente relevantes no processo de formação de estratégias, e não se constituem forças opostas. Esse último entendimento se apóia nas premissas que sustentam a teoria dos Sistemas Adaptativos Complexos (SAC’s), como um novo campo teórico para estudo da formação de estratégias nas organizações. É também analisado o processo de formação de estratégias na Universidade Federal do Amazonas (UFAM) desenvolvido no período de 1993-2005, com o intuito de identificar qual a orientação predominante no processo de elaboração e implementação dos planos dessa instituição, se formal, negociado ou da construção permanente.

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO, M. E. Administração complexa: revendo as bases científicas da administração. RAE Eletrônica, v. 2, n.1, jan/jun, 2003.

ANDERSON, P. Complexity theory and organization science. Organization Science, v.10, n.3, p. 216-232, 1999.

AXELROD, R. e COHEN, M. D. Harnessing complexity: organizacional implications of a scientific frontier. New York: The Free, 2000.

BARBOSA, A.; REBELO, L M. B. A emergência do pensamento complexo nas organizações. RAP. FGV, Rio de Janeiro, v. 37, n.4, p. 777-96, Jul./Ago. 2003.

GRILO, R. B. Aprendendo no caos. Disponível em: www.manuelgrilo.com/ rui/artigos/aprenda.html, em 09. abr. 2003.

HOLLAND, J. Hidden order: how adaptation builds complexity. Cambridge: Perseus, 1996.

MARIOTTO, F. L. Mobilizing emergent strategies Relatório n.º 10/2000. Núcleo de Pesquisas e Publicações.. São Paulo: EAESP/FGV, 2000. (Série Relatórios de Pesquisa).

______ . _____ . Trabalho apresentado no ENANPAD. Anais..., Campinas,2001. Campinas: ANPAD, setembro/ 2001. CD Rom.

______ . Mobilizando estratégias emergentes. RAE, São Paulo, v. 43, n. 2, abr./jun. 2003.

MINTZBERG, H. Strategy-making in three modes. California Management Review, v.16, n. 2, p. 44-55, 1973.

MINTZBERG, H.; McHUGH, A. Strategy formation in an adhocracy. Administrative Science Quarterly, v. 30, n. 2, p. 160-197, jun. 1985.

MINTZBERG, H., AHLSTRAND, B, LAMPEL, J. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000.

_____.; QUINN, J. B. O processo da estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

_____ . Não faça planos. Trabalhe. Entrevista concedida à Revista EXAME, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 51-52, jan. 2004,

MORIN, E. Ciência com consciência. 4. ed. Rio de Janeiro,RJ: Bertrand, 2000.

NICOLAU, I. O conceito de estratégia. INDEG/ISCTE. Instituto de Desenvolvimento da Gestão Empresarial. Lisboa, set./2001. Disponível em:: www.iscte.pt/ Estrategia/conceito%20estrategia.pdf. Acesso em;15 abr. 2003.

PRADO JÚNIOR, S. T. Estratégias emergentes: uma proposta de síntese conceitual. In: ENCONTRO DE ESTUDOS EM ESTRATÉGIA 3E´s, 1., Curitiba, 2003. Anais.... CD Rom. Curitiba, 2003.

QUINN, J. B. Strategies for change: logical incrementalism. Sloan Management Review, summer, 1980.

STACEY, R. D. Complexity and creativity in organizations. San Francisco: Berret-Koehler, 1996.

STONER, J.A.F.; FREEMAN, R.E. Administração. 5. ed. Rio de Janeiro,RJ: Prentice-Hall, 1985.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS. Planos de Gestão 1993-1997; 1997-2001; 2001-2005. Manaus: Imprensa Universitária.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v4i11.6890

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat