POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR: ACESSO,PERMANÊNCIA E FORMAÇÃO1

Maria Lourdes Gisi

Resumo


A educação superior é analisada, neste texto, a partir de dois pontos principais: o primeiro se refere às dificuldades de acesso e permanência neste nível de ensino e tem relação com o financiamento da educação, com os processos de seleção e com as oportunidades educacionais dos alunos. O segundo ponto se refere à formação proposta para a educação superior, em estreita sintonia com o mercado. Proposta esta que prioriza um conhecimento imediatista e adaptativo, que limita o acesso ao preparo técnico-científico para o mundo do trabalho e a difusão do pensamento crítico na sociedade.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Janete M Lins. A educação como política pública. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2001.

BOURDIEU, Pierre. Contrafogos 2: por um movimento social europeu. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar, 2001.

_____ . A economia das trocas simbólicas. 5. ed. In: MICELI, S. _____ . (Org.). São Paulo, SP: Perspectiva, 2003.

BRASIL. MEC. Informativo INEP. v.1, n. 20, D

isponível em: http// www.informativo@inep.gov.br. Acessado em 05 jan. 2004.

_____ . MEC. Disponível em: http//www.mec@.gov.br Acessado em 5 jan. 2004.

_____ . Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei 9394/96. Publicado no Diário Oficial da União, dez. 1996.

BURKE, Peter (Org). A escrita de história: novas perspectivas. 2 ed. São Paulo.SP: UNESP, 1992.

CATANI, Afrânio Mendes; OLIVEIRA, João Ferreira. Acesso e permanência no ensino superior: capacidades, competição e exclusão social. In: SEVERINO, A. J.; FAZENDA, I.C. A. Políticas educacionais: o ensino nacional em questão. Campinas: Papirus, 2003. p.113-126.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. São Paulo, SP: Cortez, 1989.

_____ . Sociedade, universidade e Estado: autonomia, dependência e compromisso social. In: SEMINÁRIO UNIVERSIDADE: POR QUE E COMO REFORMAR? Brasília, 2003. Anais... Disponível em: http://www.jornalmec@mec.gov.br.

CORCUFF, Philippe. As novas sociologias: construções da realidade social. Bauru: EDUSC, 2001.

COSTA, Marisa Vorraber. Editorial. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n.23, p.3-4, maio/ago. 2003.

COUTO, Beatriz. As minorias e a universidade no Brasil: a ironia de um encontro político. 2003. Disponível em: http://www.reforma.ufrn.br/.

DEROUET, Jean-Louis. A sociologia das desigualdades em educação posta à prova pela segunda explosão escolar: deslocamento dos questionamentos e reinício da crítica. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n.21, p.516, out./dez. 2002.

GINSBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo, SP: Cia das Letras, 1989.

GÓMEZ, Maria José. Política e democracia em tempos de globalização. Petrópolis: Vozes, 2000.

LAHIRE, Bernard. Crenças coletivas e desigualdades culturais. Educação & Sociedade, São Paulo, v.24, n.84, p.983-995, set. 2003.

MIRANDA, Marília Gouvêa. Novo paradigma de conhecimento e políticas educacionais na América Latina. Cadernos de Pesquisa, n.100, p. 37-48, mar. 1997.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.23, p. 156-168, mai./ago. 2003.

SACRISTAN, Gimeno. J. Educar e conviver na cultura global: as exigências da cidadania. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SETTON, Maria da Graça Jacintho. A teoria do habitu s em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.20, p.60-70, maio/ago. 2002.

VEIGA-NETO, Alfredo. Cultura, culturas e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.23, p. 5-15, maio/ago. 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v4i11.6860

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat