MEANINGS PRODUCED BY TEACHERS AND STUDENTS INVOLVED ON A LEARNING SUPPORT PROGRAM IN THE STATE OF PARANÁ

Francismara Neves de Oliveira, Carlos Toscano

Resumo


This work investigated the proposal of the state program of Paraná government for learning support rooms. Of qualitative character, on the modality of descriptive and interpretative, the research relied on studies of Rockweel and Speleta (1986); Moysés and Collares (1996); Lahire (1997); and Aquino (1997, 1998), with the goal of understanding the work developed on those performance spaces in two public schools of Londrina, PR, through the following questions: Which are the meanings of students and teachers about the teaching and the learning and about the support room? What are the meanings of the room to support learning? Which meanings are present on the guiding documents of the program? In order to achieve this goal, the following methodological Significados produzidos por professores e alunos envolvidos no programa Salas de Apoio à Aprendizagem no estado do Paraná procedures were adopted: documentary research, observation and interview. The results include: 1) the existence of this program signals the recognition of the problem of not learning is systemic, however, their actions are focused on providing a new opportunity for other classes only in Portuguese Language and Mathematics, perceived by students as they were identical to the regular room and not understand; 2) assigning blame for not learning is very dependent on the place occupied in context and so sometimes may involve the teacher or the student and/or his family. 

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADA, E. G. C. Família, escola e a dificuldade de aprendizagem: intervindo sistemicamente. Psicologia Escolar e Educacional , v. 7, n. 2, p. 171-178, dez. 2003.

AQUINO, J. G. Erro e fracasso na escola : alternativas teóricas e práticas. 2. ed. São Paulo: Summus, 1997.

AQUINO, J. G. A indisciplina e a escola atual. Revista da Faculdade de Educação , v. 24, n. 2, p. 181-204, jul./dez. 1998.

BISSOTO, M. L. O fracasso na escola. Revista Iberoamericana de Educación , n. 50, p. 81-98, 2009.

BRITO, A. Acerca de um desencuentro: la mirada de los professores sobre los alunos de la escuela secundaria em Argentina. Revista Iberoamericana de Educación, n. 51, p. 139-158, 2009.

COLLARES, C. A. L.; MOYSÉS, M. A. A. Preconceito no cotidiano escolar : ensino e medicalização. São Paulo: Cortez, 1986.

EMÍLIO, S. A. O cotidiano escolar pelo avesso : sobre laços, amarras e nós no processo de inclusão. 2004. 252 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

EZPELETA, J.; ROCKWELL, E. Pesquisa participante . São Paulo: Autores Associados, 1986.

FAGALI, E. Q. Múltiplas faces do aprender : novos paradigmas da pós-modernidade. São Paulo: Unidas, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social . São Paulo: Atlas, 2002.

GOFFMAN, I. Estigma : notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

LAHIRE, B. Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática, 1997.

LUGLI, G. R.; GUALTIERI, E. C. R. A escola e o fracasso escolar . São Paulo: Cortez, 2012.

MERCADO-MALDONADO, R. Los saberes docentes como construcción social . México: Fondo de Cultura Económica, 2002.

LUZ, S. P. da et al. Formação continuada de docentes do ensino superior: contribuições para a prática pedagógica. Educere et Educare: Revista de Educação , v. 6, n. 12, p. 194-207, jul/dez. 2011.

MOYSÉS, M. A. A.; COLLARES, C. A. L. A história não contada dos distúrbios de aprendizagem. Cadernos CEDES , n. 28, p. 31-48, 1992.

PANIAGO, M. L F. S. Práticas discursivas de subjetivação no contexto escolar . 2005. 205 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2005.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar : histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

PARANÁ. Secretaria do Estado de Educação. Resolução n. 1690, de 24 de abril de 2011. Institui a partir de 2011, em caráter permanente, o Programa de Atividades Complementares Curriculares em Contraturno na Educação Básica na Rede Estadual de Ensino. Curitiba, PR, 24 maio 2011a. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2013.

PARANÁ. Secretaria do Estado da Educação. Instrução n. 007/2011 - SUED/SEED . Assunto: critérios para a abertura da demanda de horas-aula, do suprimento e das atribuições dos profissionais das Salas de Apoio à Aprendizagem do Ensino Fundamental, da Rede Pública Estadual de Educação. 2011. Curitiba, 4 jul. 2011b. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2012.

PARANÁ. Secretaria do Estado da Educação. Instrução n. 016/2011 – SEED/SUED . Assunto: Estabelece critérios para o atendimento educacional especializado em SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAL TIPO I, na Educação Básica – área da deficiência intelectual, deficiência física neuromotora, transtornos globais do desenvolvimento e transtornos funcionais específicos. Curitiba, PR, 22 nov. 2011c. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2013.

PARANÁ. Secretaria do Estado de Educação. Instrução 020/2012 - SUED/SEED . Assunto: Matriz Curricular para os Ensino Fundamental, anos finais, e para o Ensino Médio, da Rede Pública de Educação Básica. Curitiba, PR, 12 dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 2 jul. 2013.

PARO, V. H. Reprovação escolar : renúncia à educação. São Paulo: Xamã, 2001.

SOUZA, M. P. R. de. Medicalização na Educação Infantil e no Ensino Fundamental e as políticas de formação docente: retornando à patologia para justificar a não aprendizagem escolar – a medicalização e o diagnóstico de transtornos de aprendizagem em tempos de neoliberalismo. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 31., 2008, Caxambu. Anais ... Caxambu: ANPEd, 2008. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v15i44.5143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat