INDISCIPLINA E VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: ALGUMAS QUESTÕES A CONSIDERAR

Joe Garcia

Resumo


Este artigo apresenta uma análise de pesquisa no campo dos estudos sobre indisciplina e violência nas escolas, propondo alguns avanços nos processos de gestão educacional, tendo por base um conjunto de leituras teóricas e observações realizadas em um conjunto de escolas de Educação Básica, ao longo dos últimos cinco anos. Argumentamos que os problemas de indisciplina e violência solicitam uma profunda revisão em nossas visões e práticas pedagógicas, uma mudança de paradigma em termos de gestão educacional, pois colocam em questão o próprio projeto educacional, e portanto as finalidades mais amplas do ato educacional, e não somente as iniciativas e práticas dos professores. O texto desenvolve uma análise em três momentos. Inicialmente exploramos um conjunto de questões sobre indisciplina e violência nas escolas, tendo por referências estudos realizados por ISSN 1518-3483 Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 9, n. 28, p. 511-523, set./dez. 2009 Licenciado sob uma Licença Creative Commons 512 GARCIA, J. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 9, n. 28, p. 511-523, set./dez. 2009 diferentes pesquisadores. Em seguida, argumentamos sobre a necessidade de avançar na direção de um novo paradigma na gestão educacional, em relação às questões de indisciplina e violência nas escolas. A seguir, tendo por base um conjunto de observações realizadas em um grupo de escolas, exploramos um conjunto de aspectos a serem transformados, relativos à perspectiva de mudança nos processos de gestão educacional, tendo em mente efetuar avanços no enfrentamento dos problemas relacionados à indisciplina e violência. Na última parte apresentamos um conjunto de considerações finais, destacando a importância da escola redesenhar processos de formação e priorizar ações pró-ativas baseadas no desenvolvimento de visões compartilhadas, como forma de superar fragmentações usuais nas ações relacionadas a indisciplina e violência nas escolas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, M.; RUA, A. Violências nas escolas. 4. ed. Brasília: Unesco, 2004.

AMADO, J. Interacção pedagógica e indisciplina na aula. Porto: Edições ASA, 2001.

AQUINO, J. (Org.). Indisciplina na escola. São Paulo: Summus, 1996.

ARUM, R. Judging school discipline. Cambridge: Harvard University Press, 2005.

D’ANTOLA, A. (Org.). Disciplina na escola. São Paulo: EPU, 1989.

DEBARBIEUX, E. Violência nas escolas. Lisboa: Instituto Piaget, 2007.

DEBARBIEUX, E.; BLAYA, C. (Org.). Violência nas escolas: dez abordagens européias. Brasília: Unesco, 2002.

ESTRELA, M. T. Relação pedagógica, disciplina e indisciplina na aula. Porto: Porto Editora, 2002.

FRELLER, C. Histórias de indisciplina escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

FURLAN, A. Discipline problems in the Mexican school system: the silence of educational science. Prospects, Brussels, v. 28, n. 4, p. 555-569, 1998.

GORDON, D. Rising to the discipline challenge. Harvard Education Letter, Cambridge, v. 15, n. 5, p. 1-4, 1999.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1977.

NÓVOA, A. Nota de apresentação. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p. 9-12.

REBELO, R. Indisciplina escolar: causas e sujeitos. Petrópolis: Vozes, 2002.

XAVIER, M. L. (Org.). Disciplina na escola: enfrentamentos e reflexões. Porto Alegre: Mediação, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v9i28.3307

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat