A JOVEM PESQUISA EDUCACIONAL BRASILEIRA

Marli André

Resumo


O presente texto focaliza os principais momentos da história da pesquisa educacional no Brasil. O primeiro período tem como marco a criação do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), em 1938, ligado ao MEC, que vai apoiar pesquisas para dar subsídios às políticas educacionais. O segundo período é inaugurado com a criação do Centro Brasileiro e dos Centros Regionais de Pesquisa, em 1956, ligados ao INEP, que se encarregam da formação de recursos humanos para a pesquisa. O terceiro momento é o da criação dos cursos de pós-graduação, na década de 70, quando são dadas as condições para a institucionalização da pesquisa. O texto menciona que nessa trajetória relativamente curta da pesquisa educacional houve grande crescimento no número de trabalhos e mudanças nos temas, nos enfoques, nas metodologias e no contexto de produção. Menciona ainda que várias análises críticas da pesquisa educacional têm apontado problemas na qualidade dos trabalhos produzidos, como a pulverização de temas, o modismo e a fragilidade metodológica na abordagem dos problemas. Atribui parte desses problemas à falta de condições para produção do conhecimento científico no Brasil e alerta para a necessidade de enfrentar tais problemas para que a pesquisa possa atingir a maturidade com o nível de qualidade e o respeito devidos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZOTTI, A. J. Relevância e aplicabilidade da pesquisa em educação. Cadernos de Pesquisa, n.113, p.39-50, 2001.

ANDRÉ, M. A pesquisa sobre Formação de professores no Brasil-1990-1998. In: CANDAU, Vera M. (Org.). Ensinar e aprender: sujeitos, saberes e pesquisa. Rio de Janeiro,RJ: DP&A, 2000. p. 83-99.

ANGELUCCI, C. B.; KALMUS, J.; PAPARELLI, R.; PATTO, M.H.S. O estado da arte da pesquisa sobre o fracasso escolar (1991-2002): um estudo introdutório. Educação e Pesquisa, v. 30, n. 1, p. 51-72, 2004.

CARVALHO, M. S. A pesquisa educacional sobre a escola pública de ensino fundamental, nos projetos e relatórios de pesquisa elaborados por docentes das Universidades brasileiras. Tese (Doutorado) - UFRJ, 2004.

CUNHA, L.A.C. Os (des)caminhos da pesquisa na pós-graduação em educação. In: SEMINÁRIO SOBRE A PRODUÇÃO CIENTÍFICA NOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO. Brasília, MEC/CAPES, 1979. p. 3-15.

CUNHA, L.A.C. Pós-graduação: ponto de inflexão? Cadernos de Pesquisa, n. 77, p. 63-80, maio, 1991.

GATTI, B. A. Pós-graduação e pesquisa em educação no Brasil: 1978-1981. Cadernos de Pesquisa, n. 44, p. 3-17,1983.

GATTI, B. A. reflexão sobre os desafios da pós-graduação: novas perspectivas sociais, conhecimento e poder. Revista Brasileira de Educação, n. 18, p. 108- 116, 2001.

GATTI, B. A. Implicações e perspectivas da pesquisa educacional no país. Cadernos de Pesquisa, n.113, p. 65-81, 2001.

GOUVEIA, A. J. Pesquisa educacional no Brasil. Cadernos de Pesquisa, n. 1, p. 1-48,1971.

GOUVEIA, A. J. Pesquisa em educação no Brasil: de 1970 para cá. Cadernos de Pesquisa, n.19, p. 75-79,1976.

MELLO, G.N. Pesquisa educacional no Brasil. Cadernos de Pesquisa, n. 46, p. 67-72, 1983.

VENTORIM, S. A Formação do professor pesquisador na produção científica dos encontros de Didática e Prática de Ensino: 1994-2000. Tese

(Doutorado) - UFMG, 2005.

WARDE, M. O papel da pesquisa na pós-graduação em educação. Cadernos de Pesquisa, n. 73, p. 67-75, 1990.

WARDE, M. A produção discente dos programas de pós-graduação em

educação no Brasil (1982-1991): avaliação e perspectivas na área de

educação. Porto Alegre: ANPEd: CNPq, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v6i19.3133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat