A constituição da profissão docente: um estudo com professores da educação profissional

Ana Sara Castaman, Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira, Denise de Oliveira

Resumo


Este artigo, intitulado “A constituição da profissão docente: um estudo com professores da educação profissional”, tem por objetivo compreender como os professores da educação profissional estão construindo sua identidade docente. Para tanto, analisa-se como o Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes para a Educação Básica e Profissional no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Câmpus Sertão promove a profissionalização docente, fazendo com que os participantes construam uma imagem positiva da profissão e adquiram certa autonomia profissional. Como metodologia, adota-se o estudo de caso, com abordagem qualitativa, a partir da percepção dos alunos do referido Programa. Os instrumentos empregados para a coleta de dados foram um questionário estruturado, disponibilizado em ambiente web, com preenchimento on-line, e uma entrevista semiestruturada. Os dados coletados foram submetidos à análise de conteúdo. Conclui-se que a formação do “ser professor(a)” está atrelada ao desenvolvimento pessoal e profissional do sujeito, o qual se compõe de elementos subjetivos e objetivos, que a maioria tem a docência como atividade profissional principal e/ou complementar; outra parcela tem a pretensão de atuar na docência pela carreira profissional e se identificam com a atividade profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo . Lisboa: Edições 70, 2006.

BENITES, L. C. Identidade do professor de Educação Física: um estudo sobre os saberes docentes e a prática pedagógica, 2007. 200 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Motricidade) — Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2007.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução nº. 02, de 16 de junho de 1997. Dispõe sobre Programas Especiais de Formação Pedagógica de docentes para as disciplinas do currículo do ensino fundamental, do ensino médio e da educação profissional em nível médio. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil , Poder Executivo, Brasília, DF, 15 jul. 1997. Seção 1, p. 14927.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº. 06, de 20 de setembro de 2012. Dispõe sobre Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil , Poder Executivo, Brasília, Brasília, DF, 21 de set, 2012. Seção 1, p. 22.

BREWER, J.; HUNTER, A. Foundations of multimethod research: synthesizing

styles. Thousand Oaks: Sage Publications, 2006.

CARVALHO, J. M.; SIMÕES, R. H. S. O processo de formação continuada de professores: uma construção estratégico-conceitual expressa nos periódicos. In:

ANDRÉ, M. (Org.). Formação de professores no Brasil (1990-1998). Brasília: MEC/ Inep/Comped, 2006. p. 171-184.

DUBAR, C. A socialização : construção das identidades sociais e profissionais. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FERREIRA, A. R. O. Os professores da educação profissional : sujeitos (re)inventados pela docência. 2010. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GARCIA, C. M.; VAILLANT, D. Desarrollo profesional docente : ¿Cómo se aprende a enseñar? Madrid: Narcea Ediciones, 2009.

GARIGLIO, J. A.; BURNIER, S. Saberes da docência na educação profissional e tecnológica: um estudo sobre o olhar dos professores. Educação em Revista , v. 28, n. 1, p. 211-236, 2012.

KUENZER, A. Z. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: EDUCAÇÃO

SUPERIOR EM DEBATE. Formação de professores para educação profissional e tecnológica . Brasília: Inep/MEC, 2008. p. 19-40. (Coleção Educação Superior em Debate; v. 8).

KAUFMANN, J. C. A invenção de si: uma teoria de identidade. Lisboa: Instituto Piaget, 2004.

LIBÂNEO, J. C. O professor e a construção da sua identidade profissional. In: LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2001. p. 62-71.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores . 2. ed. Lisboa: Porto Editora, 2007. p. 11-30.

MACIEIRA, D. S. Limites e possibilidades da formação inicial de professores da Educação Profissional através do Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes, segundo as representações de seus egressos. 2009. 209 f. Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica) — Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET), Belo Horizonte, 2009.

MACHADO, L. R. S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a Educação Profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica , v.1, n. 1, p. 8-22, 2008.

MOCKLER, N. Beyond ‘what works’: understanding teacher identity as a practical and political tool. Teachers and Teaching: theory and pract ice, v.17, n. 5, p. 517-528, 2011.

MOROSINI, M. C. (Org.). Enciclopédia de Pedagogia Universitária : glossário. v. 2. Brasília: Inep/MEC, 2006.

PERRENOUD, P. Avaliação : da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente . 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002. p. 15-34.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL - IFRS. Resolução nº. 123 . Aprova ad referendum o Projeto Pedagógico do Curso de Formação Pedagógica de Docentes para a Educação Básica e Profissional. Porto Alegre: Conselho Superior/IFRS, 2010.

SOUZA NETO, S. A formação inicial e continuidade de professores: os saberes da profissão. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESCOLA, 3., 2002. Vargem Grande Paulista, São Paulo. Mimeografado.

TARDIF, M. Saberes docente e formação profissional . 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.16.050.DS10

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat