A força da educação na integração de refugiados no Brasil: crianças russas na cidade de Santos (1958-1968)

Marina Tucunduva Bittencourt Porto Vieira, Fabiano Lourenço de Menezes, Bárbara Higa Silva* Higa Silva

Resumo


Este artigo baseou-se em uma pesquisa que analisou o Instituto São Vladimir, entre os anos de 1958 a 1968. O Instituto São Vladimir foi uma instituição criada com o propósito de integrar crianças russas que chegaram como refugiadas da China na cidade de Santos. Os internos frequentavam escolas da cidade, onde tinham a educação formal durante um período do dia e a educação informal no local de moradia. O objetivo da instituição era inseri-los em uma nova cultura e, simultaneamente, conhecerem e valorizarem a cultura russa. A pesquisa foi qualitativa e com o uso da técnica da história oral coletamos cinco depoimentos: de um ex-diretor, três ex-internos e um frequentador. O estudo examinou as estratégias de educação utilizadas no Instituto São Vladimir para preservar e difundir a cultura russa e a influência que tais estratégias tiveram nas vidas das crianças que frequentaram o instituto. Os resultados indicam que o processo para integrar as crianças refugiadas no Brasil foi um marco para o processo de integração local de refugiados. Concluiu-se que ter passado pelo Instituto deixou marcas importantes na vida das pessoas que o frequentaram e houve um processo de hibridação cultural. Hoje os ex-internos continuam frequentando festividades russas na cidade de São Paulo, onde é possível observar a presença da inter-relação de hábitos russos e brasileiros.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416x.17.051.ds02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat