Professoras idosas do campo: narrativas sobre formação e prática pedagógica

Maria Antônia Souza, Maria de Fátima Rodrigues Pereira, Maria Iolanda Fontana

Resumo


Este artigo traz resultados da pesquisa sobre professoras idosas que vivem no campo, em duas regiões do estado do Paraná. O objetivo é compreender a prática pedagógica, a formação inicial e continuada que as professoras tiveram ao longo da trajetória profissional. Os sujeitos da pesquisa são 20 professoras que possuem acima de 60 anos, são moradoras do campo e sempre trabalharam em escolas rurais. A partir de entrevistas semiestruturadas com 7 professoras moradoras do campo e relatos orais de 13 professoras que sempre trabalharam em escolas rurais, é possível afirmar que a prática pedagógica está assentada em quatro aspectos, a saber: formação generalista, independente do contexto agrário brasileiro; organização curricular e conteúdos direcionados à instrução dos alunos; planejamento centrado na decisão das professoras e supervisão realizada pelas secretarias municipais e estadual de educação e proximidade da escola e das professoras com as comunidades, possibilitando articulação entre as atividades realizadas pelas famílias na agricultura e os conteúdos escolares. As professoras se formaram no e pelo trabalho pedagógico. A própria experiência e o apoio de outras professoras propiciavam o aprendizado da docência. Por meio do projeto Logos, a maioria teve acesso à formação pedagógica inicial. Elas demonstram estreita relação entre a vida pessoal-familiar e o trabalho na escola. Cada criança é como se fosse um filho, o que revela perspectivas solidárias e de sociabilidade com as famílias. As professoras sentem-se realizadas no trabalho efetivado ao longo da vida e demonstram saudades do tempo difícil da docência em escola isolada e multisseriada.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.20.066.DS18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat