Dotando robôs com habilidades socioemocionais: presente, futuro e implicações éticas

Patricia Jaques

Resumo


Nesse artigo busco discutir os impactos de robôs (em software ou hardware) dotados de habilidades socioemocionais. Para isso, uso como cenário ilustrativo o episódio “Volto Já”, da segunda temporada da série de televisão “Black Mirror”. Nesse episódio, Martha compra um robô que simula a personalidade do seu falecido marido, aprendida através das interações dele em redes sociais. O episódio trata das relações de afeto com robôs, justamente o tema que pretendo abordar, me focando nas emoções. Para tanto, primeiramente, apresento o estado da arte nas pesquisas em Computação Afetiva que envolvem robôs que são capazes de detectar emoções de diversas formas e responder a essas emoções para interagir de maneira mais antropomórfica. Posteriormente, abordarei potenciais impactos desse tipo de tecnologia na vida de humanos e no seu bem-estar e possíveis implicações éticas. Finalizarei esse artigo discutindo sobre como as tecnologias podem ser empregadas para aprendermos mais sobre nossos afetos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.062.DS02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat