A instrução pública e a escola primária paranaense nas charges de O Olho da Rua

Wanessa Gorri de Oliveira, Elaine Rodrigues

Resumo


Este artigo se insere no campo de pesquisa de história da educação no Paraná. A pesquisa toma a revista O Olho da Rua como fonte e objeto investigativo e o recorte temporal converge para o ciclo de vida do periódico, entre os anos de 1907 e 1911. Por meio de algumas charges veiculadas, o artigo então mostra como O Olho da Rua (1907-1911) se constituiu como um suporte material e meio de difusão do que era considerado retrógrado na instrução pública e no fazer prático da escola primária no início do século XX no estado do Paraná. Com base em quatro dessas charges sobre a instrução pública e os encaminhamentos práticos vigentes nas escolas primárias paranaenses, o principal dessa reflexão está direcionado para a seguinte problematização: − Como as charges de O Olho da Rua propuseram interpretações sobre a instrução pública paranaense e sobre o fazer prático da escola primária? Para responder a essa problematização, a história cultural baliza a manipulação do corpus documental e a semiótica orienta a análise das charges selecionadas. As charges demonstram que a instrução pública e a escola primária necessitavam de um redirecionamento para que promovessem uma instrução articulada com a educação cívica, laica e anticlerical. Esse redirecionamento sugerido pelos chargistas de O Olho da Rua se aproximava das ideias defendidas pelo republicano Dario Vellozo (1886-1937), um dos representantes da pedagogia moderna no Estado
do Paraná.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.061.DS04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat