Mídias digitais no contexto da formação de professores indígenas no curso de Pedagogia EaD-MT: problema a ser dialogado

Maria Aparecida Rezende

Resumo


O propósito do texto é debater uma problemática situada no curso de Licenciatura em Pedagogia Educação a Distância, realizado pelo Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso/Universidade Aberta do Brasil/Núcleo de Educação a Distância. O recorte privilegia a formação de professores, focalizando a participação de estudantes de duas etnias: A’uwẽ (Xavante) e Boe (Bororo) de MT. Algumas questões impulsionam o debate: as dificuldades destes professores pois em suas comunidades a internet não tem qualidade adequada para desenvolver as atividades do Ambiente Virtual de Aprendizagem; a ida aos polos se não têm bolsa para as despesas prementes na cidade; as dificuldades linguísticas, uma vez que as atividades do curso estão formuladas em Português e os professores possuem duas outras línguas, sendo que a língua portuguesa se constitui como uma segunda língua. São perguntas delineadoras que procuram caminhos, trilhas em busca de um diálogo aberto, um debate que auxilie a enfrentar os desafios enfrentados pelo Curso que busca atender a diversidade sociocultural presente em Mato Grosso. As informações obtidas advêm de visitas nas aldeias, depoimentos das orientadoras acadêmicas que atendem aos polos e relatos dos próprios estudantes indígenas. Espera-se, com esse texto, construir um diálogo com profissionais da área do Ensino a Distância para que, juntos e por meio das mídias digitais, sejam encontradas alternativas para a permanência de estudantes indígenas nesta modalidade de ensino.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.060.DS05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat