Competências docentes mapeadas em publicações do Brasil, da Espanha e Suécia na transição do século XX para o XXI

Marlene Zwierewicz, Roberto Moraes Cruz, Ramon Garrote

Resumo


Na década de 1970, passaram a ser requisitados dos trabalhadores novos domínios teóricos, técnicos e relacionais, fazendo emergir o paradigma das competências, que se inseriu no mundo laboral, delimitando um campo difuso e aberto a novas descobertas relativas ao seu conceito, a sua constituição e aplicabilidade. Constitui-se como objetivo desta pesquisa classificar as competências profissionais por meio da análise de publicações realizadas no Brasil, na Espanha e Suécia, na transição do século XX para o século XXI, distinguindo, a partir de dimensões identificadas, as competências transversais atribuídas aos trabalhadores de forma geral daquelas vinculadas especificamente aos docentes. Tendo como suporte as pesquisas bibliográfica e documental e a abordagem qualitativa, os dados foram coletados mediante a análise de autores de referência, de documentos de órgãos governamentais e de entidades dos três países. Os resultados indicam que as competências transversais destacadas são vinculadas a dez dimensões e que, na definição das competências específicas da docência, existe a necessidade de incluir a dimensão conceitual, em função de o docente ter, entre suas exigências profissionais, a compreensão de diferentes perspectivas pedagógicas e sua repercussão nos processos de ensino e aprendizagem.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.18.057.AO01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Diálogo Educacional