Educação Ambiental e formação docente na Amazônia brasileira: contextos universitários e realidades cotidianas

Francisca Marli Rodrigues de Andrade, José Antonio Caride Gómez

Resumo


Na Amazônia brasileira, a formação docente no âmbito da universidade constitui-se como um importante objeto de disputas e negociações. Nas últimas décadas, tal objeto ganhou certas aproximações aos interesses que operam nas sutilezas das representações sociais e nas produções de inexistências — mais precisamente, das confluências que caracterizam a comercialização, a exploração e a violência, em sentido amplo. Em resposta às produções de inexistência, intensificou-se o interesse em (re)conhecer o processo de inserção da Educação Ambiental na formação em Pedagogia de docentes que atuam nos anos iniciais do Ensino Fundamental, na rede pública municipal de Castanhal, Pará. O aporte teórico e metodológico foi orientado pelas contribuições da pesquisa qualitativa, pautada na vertente etnográfica da Teoria das Representações Sociais. Colaboraram com a pesquisa 121 docentes, os quais responderam ao questionário, complementado por dois grupos de discussão e pela observação participante. Os resultados indicam as dificuldades das instituições em estabelecer conexões e redes de construção e socialização de saberes quando contextualizadas na realidade cotidiana, sobretudo por meio dos segmentos de pesquisa e de extensão.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.17.055.DS07

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Diálogo Educacional