A expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica: os Institutos Federais em questão

Leandro Turmena, Mário Luiz Neves de Azevedo

Resumo


O objetivo deste artigo é problematizar sobre a expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPCT), com a implementação dos Institutos Federais (IFs) no âmbito das políticas públicas e educacionais do governo Lula. Num primeiro momento, optou-se por investigar a historicidade e a configuração da Rede EPCT e, posteriormente, analisar os dados que refletem a materialização dos IFs no país, a partir de 2008. Considerase, mesmo se tratando de uma pesquisa em andamento, que o Estado, embora hegemonizado pela burguesia, não é absolutamente burguês. A educação também não é absolutamente expressão da vontade burguesa. Portanto, com a criação dos IFs, houve a ampliação da oferta de educação pública que, embora também inserida nos limites da sociedade de classes, constitui uma possibilidade de formação e desenvolvimento de “intelectuais orgânicos” comprometidos com a superação das relações sociais capitalistas.


Palavras-chave


Políticas Educacionais. Educação Profissional. Institutos Federais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.17.054.DS01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat