Metodologias ativas: uma discussão acerca das possibilidades práticas na educação continuada de professores do ensino superior

Gláucia da Silva Brito, Núria Pons Vilardell Camas

Resumo


Esta pesquisa tem como objeto de estudo a formação continuada de docentes do ensino superior na modalidade de educação a distância em metodologias ativas de aprendizagem. Como questão de pesquisa, tem-se: os professores universitários entendem o processo de formação continuada na ação pedagógica que motive o uso de metodologias ativas na prática? O objetivo foi analisar um curso de formação de professores universitários e discutir, sob o ponto de vista deles, seus entendimentos sobre seu fazer pedagógico. A pesquisa é de abordagem qualitativa, empírica e exploratória e traz a análise temática dos dados coletados em uma única questão feita, no fim de um curso, a 49 professores de uma universidade pública federal. Os principais resultados encontrados mostram que, apesar de o curso ter aprovação dos 49 investigados, ainda é urgente que se faça a formação continuada de professores universitários, para que possam entender e usar metodologias ativas na sua prática.

Palavras-chave


Formação de professores. Educação a distância. Educação continuada. Metodologias ativas de aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


ANASTASIOU, L. G. Metodologia do ensino na universidade brasileira: elementos de uma trajetória. In: CASTANHO, S.; CASTANHO, M. E. (Org.). Temas e textos em metodologia do ensino superior. Campinas: Papirus, 2001.

BRANDÃO, H. H. N. Introdução à análise do discurso. Campinas: UNICAMP, 1998.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

DEMO, P. Professor do futuro e reconstrução do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 2004.

FIORIN, J. L. Elementos de análise do discurso: repensando a língua portuguesa. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1999.

FREITAS, L. V.; FREITAS, C. V. Aprendizagem cooperativa. Porto: Asa, 2003.

GOODSON, I. Currículo, narrativa e o futuro social. Revista Brasileira de Educação, Campinas, v. 12, n. 35, p. 241-252, maio/ago. 2007.

KUENZER, A. Z. O que muda no cotidiano da sala de aula universitária com mudanças no mundo do trabalho? In: CASTANHO, S.; CASTANHO, M. E. (Org.). Temas e textos em metodologia do ensino superior. Campinas: Papirus, 2001.

LAUXEN, S. L. A Docência no ensino superior: saberes e práticas. Revista Eventos Pedagógicos, v. 5, n. 3, p. 138-151, ago./out. 2014.

LIMA, M. S. L. Docência e pesquisa em formação de professores: caminhos que se cruzam nas cartas pedagógicas. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E.; FRANCO, M. A. S. (Org.). Pesquisa em educação: alternativas investigativas com objetos complexos. São Paulo: Loyola, 2006.

MASETTO, M. T. (Org.). Docência na universidade. Campinas: Papirus, 1998.

______. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MATURANA, H. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

NÓVOA. A. S. da (Org). Formação de professores e profissão docente. Changing patterns of regulation and power in teacher education: eight country study of reform practices in teacher education. Impresso. 19--.

______. Profissão professor. Porto: Porto, 2000.

______. A universidade e a educação básica: falando da formação de professores. Aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal da Bahia, 2016.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

SOUSA, M. G.; CABRAL, C. L. O. A narrativa como opção metodológica de pesquisa e formação de professores. Horizontes, v. 33, n. 2, p. 149-158, jul./dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 4 maio 2017.

TARDIF, M. Saberes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TORRES, P. L.; IRALA, E. A. F. Aprendizagem colaborativa: teoria e prática. In: TORRES, P. L. (Org.). Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento. Curitiba: SENARPR, 2014. v. 1.

VALENTE, N. T. Z.; ABIB, D. B.; KUSNIK, L. F. Análise dos estilos de aprendizagem dos alunos e professores do curso de graduação em ciências contábeis de uma universidade pública do estado do Paraná com a aplicação do inventário de David Kolb Contab. Vista & Revista, v. 18, n. 1, p. 51-74, jan./mar. 2007.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.17.052.DS01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat