Mídia social em contexto de hibridismo e multimodalidade: o percurso da experiência na formação de mestres e doutores

Eliane Schlemmer

Resumo


Este artigo se contextualiza no Grupo de Pesquisa Educação Digital (GPe-dU Unisinos/CNPq), vinculado à linha de pesquisa Educação, Desenvolvimento e Tecnologias, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisinos e parte da problemática: Como as mídias sociais podem contribuir com o processo de formação de professores-pesquisadores em contexto de hibridismo e multimodalidade? Seu objetivo consiste em compreender e discutir os significados construídos em relação à docência para a formação do professor-pesquisador em contexto de hibridismo e multimodalidade, quando um dos espaços disponibilizados para a prática pedagógica é uma mídia social. A pesquisa, exploratória e qualitativa, é inspirada no método cartográfico e faz uso da observação; de textos e fotografia digitais; de discursos; e de acompanhamento da experiência (trilhas). Para a análise dos dados utiliza a análise textual discursiva. Os principais resultados evidenciam que as mídias sociais podem contribuir com a formação do professor-pesquisador tanto por meio da criação de grupos no âmbito das atividades acadêmicas curriculares quanto no âmbito da prática de pesquisa e da orientação. Os dados indicam que um número significativo de sujeitos continua interagindo nos grupos, mesmo após seu término, o que contribui para que se constitua enquanto uma comunidade virtual de aprendizagem e de prática, além disso, a cada novo semestre, novos sujeitos passam a integrar essa comunidade, o que enriquece as trocas, dando origem a um processo de formação continuada.

Texto completo:

PDF

Referências


CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Rizoma. In: DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. v. 1. p. 11-38.

FRANCO, A. A rede. São Paulo, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2012.

GALIAZZI, M. C.; MORAES, R. Análise textual discursiva. Ijuí: Editora Unijuí,2011.

KASTRUP, V. O método cartográfico e os quatro níveis da pesquisa-intervenção.In: CASTRO, L.R.; BESSET, V. (Org.). Pesquisa-intervenção na infância e adolescência.Rio de Janeiro: Nau Editora, 2008.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. São Paulo: Edusc, 2012.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea.

Porto Alegre: Sulina, 2002.

LÉVY, P. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

MATURANA, H. R. Transformación en la convivencia. Santiago de Chile: Dólmen Ediciones, 1999.

MATURANA, H. R. A ontologia da realidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. J. G. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2002

PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividades. Porto Alegre: Sulina, 2010.

SCHLEMMER, E.; LOPES, D. Q. Redes sociais digitais, socialidade e MDV3d: uma perspectiva da tecnologia-conceito ECODI para a educação online. In: LUPION, P. T.; WAGNER, P. R.(Org.). Redes sociais e educação: desafios contemporâneos. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2012. v. 1. p. 1-15.

SCHLEMMER, E. O trabalho por projetos em educação a distância: uma parceria. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 6., 1999, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ABED, 1999. p. 1-12.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.15.045.DS02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat