Caderno Teológico da PUCPR

Publicação semestral da Graduação em Teologia da PUCPR e do PPGT da mesma instituição. Tem por objetivo veicular trabalhos científicos que contribuam ao avanço da pesquisa na área de Ciências da Religião e Teologia. Assume, desta forma, a pluralidade de elaborações teóricas de doutores e não doutores, com especial atenção à produção discente

CHAMADA DOSSIÊ 2019 N. 2

 

DIVERSIDADE E INTOLERÂNCIA NA SOCIEDADE BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

 

Organizadores

Celso Gabatz (Faculdades EST)

Ezequiel Hanke (Faculdades EST)

Jefferson Zeferino (PUCPR)

 

A busca pelo respeito à liberdade de religião e de culto, bem como o reconhecimento da diversidade religiosa a partir dos parâmetros dos direitos humanos, tem sido um desafio recorrente na contemporaneidade. O respeito à diversidade perpassa o aprendizado para a superação de preconceitos, discriminações e intolerâncias onde não se coloca o próprio sistema de valores e verdades como parâmetro universal para as pessoas. Liberdade religiosa, por exemplo, não deveria ser confundida com liberdade de promoção religiosa em espaços públicos. O dossiê acolherá textos que busquem ampliar a perspectiva das religiões na promoção da diversidade. Pretende-se, sobretudo, debater questões concernentes à religião nas suas interfaces com a cultura, política, laicidade, justiça, solidariedade, liberdade de expressão, convicção ou crença, superação de preconceitos e de discriminações.

 

Deadline: 30/04/2020

 

 

CHAMADA DOSSIÊ 2020 N. 1

 

DIVERSIDADE RELIGIOSA E CULTURAL E O “PRINCÍPIO PLURALISTA”

 

Organizadores

Alonso Gonçalves (FTBSP)

Irênio Chaves (PUC RIO)

 

O Dossiê reunirá textos de temáticas relativas ao pluralismo religioso e cultural elaborados em diálogo crítico com o princípio pluralista. Trata-se de um referencial de análise facilitador de melhor compreensão do complexo e variado quadro religioso, que pode também ser utilizado como noção condutora de reflexões sobre o pluralismo metodológico e antropológico. O princípio pluralista possibilita divergências e convergências novas, outros pontos de vistas, perspectivas críticas e autocríticas para diálogo, empoderamento de grupos e de visões subalternas e formas de alteridade e de inclusão, considerados e explicitados os diferenciais de poder presentes na sociedade, como os estudos culturais decoloniais enfatizam. O princípio pluralista, formulado a partir de lógicas ecumênicas e de alteridade, possibilita melhor compreensão da diversidade do quadro religioso e, também, das ações humanas. Com ele, as análises tornam-se mais consistentes, uma vez que possibilitam melhor identificação do "outro", especialmente as pessoas e grupos que são invisibilizados dentro da visão sociológica que Boaventura de Souza Santos chamou de "sociologia das ausências". A sensibilidade com as distintas expressões culturais ou religiosas contribui para uma "sociologia das emergências" de novos rostos, variados perfis religiosos, multiplicidades de olhares, perspectivas e formas plurais de atuação. A lógica de uma visão pluralista está presente em diferentes autores e autoras, mas, a expressão princípio pluralista tem certo caráter inédito. É fato que a nomenclatura, especialmente por sua sonoridade e constituição, nos remete à ideia do pluralismo de princípio, como nos indicaram Claude Geffé, Jaques Dupuis, Faustino Teixeira e outros autores. Para eles, além do pluralismo religioso de fato, como uma das marcas da realidade social, o pluralismo de princípio, seria uma plataforma teológica que reconhece e valoriza a realidade do pluralismo religioso como vontade e automanifestação divinas, para que a ultimacidade se revele por meio da diversidade de culturas e religiões. No entanto, o princípio pluralista¸ tal como concebeu Claudio de Oliveira Ribeiro, contempla tal perspectiva ecumênica, valorativa do diálogo e das aproximações inter-religiosas, mas é mais amplo, uma vez que também se constitui em instrumento de avaliação da realidade social e cultural, sobretudo para melhor compreensão das diferenças, religiosas ou não, que se forjam nos “entre-lugares” e fronteiras das culturas e das esferas de institucionalidades.

 

Deadline: 12/06/2020

 

 

CHAMADA DOSSIÊ 2020 N. 2

 

A PANDEMIA COVID-19: TEOLOGIA, CIÊNCIA E ARTE EM CONVERSAS

 

Organizadores

Prof. Dr. Everton Nery Carneiro (UNEB)

Prof.ª Dr.ª Sandra Célia Coelho (UNEB)

Prof. Dr. Luis Távora Furtado Ribeiro (UFC)

 

Atendendo ao princípio da interdisciplinaridade, a presente proposta tem por escopo socializar estudos que lancem um olhar sobre a temática vinculada à Pandemia Covid-19, pensando a transversalização e da superação da disciplinaridade. Nossa busca nesse dossiê é publicar artigos que envolvam pesquisas que articulem o coronavírus, a Covid-19, e a ambiência pandêmica e suas implicações, relações e reverberações, tendo a teologia, ciência e a arte no centro e margens das conversas. As conversas se presentificam numa relação permanente em um triângulo, cujos lados são formados pela: teologia, ciência e arte. Três lados de um triângulo, formando um todo único e indivisível. Se olharmos a pandemia pelo lado da teologia, será inevitável vermos seus desdobramentos na ciência e na arte. Se olharmos a pandemia pela face da ciência, será inevitável vermos seus desdobramentos na teologia e na arte. Se olharmos a pandemia pela face da arte, será inevitável vermos seus desdobramentos na teologia e na ciência. Entendemos uma existência de relações múltiplas, tanto endógenas como exógenas ao triângulo. Nessa multiplicidade fazem parte diferentes áreas do conhecimento tais como: filosofia, sociologia, história, geografia, pedagogia, literatura, letras vernáculas, direito, antropologia, arqueologia, serviço social, política, enfermagem, medicina, física, engenharia, matemática, psicologia, administração, economia, contabilidade, jornalismo   etc. Esse triangular, seja ele escaleno, isósceles ou equilátero, aqui proposto, produzirá frutos que virão a contribuir de maneira significativa para o debate, desde a compreensão do fenômeno até a intervenção sobre o mesmo, buscando a superação, seja via mitigação ou supressão fenomênica, para a construção de uma outra realidade fenomênica, cuja intencionalidade é a verdade como práxis social.

 

Deadline: 10/07/2020

 

 

CHAMADA DOSSIÊ 2021 N. 1

 

RELIGIÃO, DEMOCRACIA E DIREITOS HUMANOS

 

Organizadoras

Jaci de Fátima Candiotto (PUCPR)

Andréia Cristina Serrato (PUCPR)

Sarah Francine Schreiner (UNIVILLE)

 

O dossiê Religião, Democracia e Direitos Humanos objetiva reunir pesquisas em torno dessa relação que, não raro, se mostra ambígua. Diante disso, o estreitamento de relações humanas pautadas na alteridade, solidariedade e outros valores humanitários parece ser imprescindível na contemporaneidade. Em muitos países declaradamente democráticos, sobretudo na América Latina, se tem visto a utilização do discurso religioso cristão de forma a comprometer a democracia e a liberdade religiosa afirmadas na carta dos Direitos Humanos e na Constituição Federal. Assim, são bem-vindas pesquisas capazes de refletir acerca das contribuições que as religiões trazem para a afirmação e aprofundamento da democracia e para a efetivação dos direitos humanos, bem como trabalhos que apontem para os limites e ambiguidades das religiões no contexto democrático. Privilegiam-se, desse modo, estudos que possam apontar novas hermenêuticas desses sistemas de crenças voltadas ao reconhecimento, defesa e promoção dos direitos humanos, além do fortalecimento da democracia e da laicidade.

 

Deadline: 30/10/2020

Temas de Fé e Sociedade

Sumário

Editorial

Relações entre fé e sociedade
Jaci de Fátima Candiotto, Jefferson Zeferino, Marcio Luiz Fernandes
PDF

Dossiê

Karen Freme Duarte Sturzenegger, Mauro Seigi Hashimoto
PDF
Sueli Maria Tobias Siqueira
PDF
Ocir de Paula Andreata
PDF
José Aguiar Nobre
PDF
Ildo Perondi, Solange Farias Rezino
PDF

Artigos

Ludinei Marcos Vian
PDF
Orlando Afonso Camutue Gulonda, Gabrielly Padilha Ferreira Sant’ Anna
PDF
Rogério L. Zanini
PDF