Pedagogy at university in transition: reflections from the Bologna Process and the voices of pedagogical managers in Engineering courses in Portugal

Rita de Cássia M. T. Stano, Flávia Vieira

Resumo


The present paper discusses the role of Pedagogy and the promotion of teaching quality at university within current reform policies in higher education resulting from the Bologna Process. These policies have also influenced public policies in Brazil and theoretical-methodological elements are presented which may support a future study in that context. In order to understand the impact the Bologna Process upon innovation and the supervision of teaching practice, an exploratory study was conducted in Portugal based on interviews to six pedagogical managers of Engineering courses from three public universities. Innovation and supervision seem to operate in a transitional territory, incorporaring conflitual logics which somehow result from tensions inherent to current changes. However, signs of a more reflective and collective pedagogical culture were found, which may foster the reshaping of the teching profession in the academic setting.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BARNETT, R.; COATE, K. Engaging the curriculum in higher education. Berkshire: The Society for Research into Higher Education & Open University Press, 2005.

BROCKBANK, A.; MCGILL, I. Facilitating reflective learning in higher education. Buckingham: The Society for Research into Higher Education & Open University Press, 1998.

CHAUÍ, M. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2000.

COLENCI, A. T. O ensino de engenharia como uma atividade de serviços: a exigência de atuação em novos patamares de qualidade acadêmica. 2000. 141 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) — Universidade de São Paulo, São Carlos, 2000.

DEMO, P. Educação e qualidade. Campinas: Papirus, 1994.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 7. ed. Campinas. São Paulo: Autores Associados, 2005.

ESTEVES, M. Sentidos da inovação pedagógica no ensino superior. In: LEITE, C. (Org.). Sentidos da Pedagogia no Ensino Superior. Porto: Centro de Investigação e Intervenção Educativas/Livraria da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, 2010. p. 45-61

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3. ed. São Paulo: Moraes, 1996.

GLICKMAN, C.; GORDON, S.; ROSS-GORDON, J. SuperVision and instructional leadership: a developmental approach. 6. ed. Boston: Pearson Education, 2004.

GUEDES, M. G. et al. Ensino e aprendizagem por projeto. Vila Nova de Famalicão: Centro Atlântico, 2007.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

HUET, I. et al. Docência no ensino superior: partilha de boas práticas. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2009.

JAPIASSU, H. Introdução ao pensamento epistemológico. 7. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

LIMA, L.; AZEVEDO, M. L. N. de; CATANI, A. M. O processo de Bolonha, o ensino superior e algumas considerações sobre a Universidade Nova. Revista Avaliação, v. 13, n. 1, p. 7-36, 2008.

NÓVOA, A. Universidade e formação docente (Entrevista). Revista Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 4, n. 7, p. 129-137, 2000.

ROBINSON, V. The identification and evaluation of power in discourse. In: CORSON, D. (Ed.). Discourse and power in educational organizations. Cresskill: Hampton Press, 1995. p. 111-130.

MORIN, E. O paradigma perdido: a natureza humana. 4. ed. Portugal: Nova América, 1973.

SÁ-CHAVES, I. Formação, conhecimento e supervisão: contributos nas áreas de formação de professores e de outros profissionais. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2000.

SHULMAN, L. Teaching as community property: essays on higher education. San Francisco: Jossey-Bass, 2004.

SILVA, M. C. Ensino superior, desigualdades sociais e processo de Bolonha: do velho ao novo elitismo na sociedade do conhecimento. Revista Travessias, n. 10, p. 79-102, 2011.

SILVA, T. T. da; MOREIRA, A. F. (Org.). Territórios Contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

SMYTH, J. Developing and sustaining critical reflection in teacher education. Journal of Teacher Education, v. 40, n. 2, p. 2-9, 1989.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

VIEIRA, F. Em contracorrente: o valor da indagação da pedagogia na universidade. Educação, Sociedades e Culturas, n. 28, p. 107-126, 2009a.

VIEIRA, F. (Org.). Transformar a Pedagogia na Universidade: narrativas de prática. Santo Tirço: Facto Editores, 2009b.

VIEIRA, F. Formação em supervisão: (re)produzir a pedagogia. In: MOREIRA, M. A.; BIZARRO, R. (Org.). Supervisão pedagógica e educação em línguas. Mangualde: Edições Pedago, 2010. p. 151-170.

VIEIRA, F. et al. No caleidoscópio da supervisão: imagens da formação e da pedagogia. 2. ed. Mangualde: Edições Pedago, 2010.

VIEIRA, F. et al. Transformar a Pedagogia na universidade: experiências de investigação do Ensino e da Aprendizagem: relatórios de investigação. Braga: Centro de Investigação em Educação, Universidade do Minho, 2004.

VIEIRA, F. et al. Concepções de Pedagogia Universitária: um estudo na Universidade do Minho: relatórios de investigação. Braga: Centro de Estudos em Educação e Psicologia, Universidade do Minho, 2002.

VIEIRA, F. MOREIRA, M. A. Supervisão e avaliação do desempenho docente: para uma abordagem de orientação transformadora. Lisboa: Ministério da Educação, 2011. (Cadernos CCAP, 1).

WAITE, D. Teacher resistance in a supervision conference. In: CORSON, D. (Ed.). Discourse and power in educational organizations. Cresskill: Hampton Press, 1995a. p. 71-87.

WAITE, D. Rethinking instructional supervision: notes on its language and culture. London: The Falmer Press, 1995b.




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v14i42.6818

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat