RELAÇÃO UNIVERSIDADE X EMPRESA NO BRASIL: TRANSFORMAÇÕES RECENTES E IMPLICAÇÕES PARA A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Stela Maria Meneghel, Débora Luz de Mello, Sandra de Negraes Brisolla

Resumo


Nos últimos anos, novas demandas têm sido apresentadas para a Universidade, provocando uma revisão nos papéis que ela exerce nos sistemas de produção de Ciência e Tecnologia, de ensino, de qualificação para o trabalho, entre outros. Nesse novo ambiente, a necessidade de uma maior vinculação com o setor produtivo vem ganhando um destaque crescente na literatura especializada e nos documentos de formulação de políticas. Essas transformações recentes impactam também os mecanismos de Avaliação Institucional. Este trabalho, baseado em estudos bibliográficos e análise de entrevistas realizadas com docentes de três destacadas instituições brasileiras de ensino e de pesquisa, buscou identificar: a) elementos característicos da dinâmica interna; ou seja, as características da interação Universidade - Setor produtivo, segundo a perspectiva dos atores envolvidos no processo; b) possíveis “tendências” da relação Universidade x Empresa no Brasil; c) implicações para o processo de Avaliação Institucional nas Universidades.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BRISOLLA, S. N. (Coord.). Universidade & Empresa; Ciência &Tecnologia - Relatório Final. Campinas, DPCT/Instituto de Geociências, abril de 1998.

BRISOLLA, S. N. e GUEDES PINTO, L.A.C. El Instituto de Física de la UNICAMP y el desarrollo de la telefonía en el Brasil: un caso de articulación eficaz de intereses. In: VESSURI, H. (org.) La academia va al mercado: relaciones de científicos académicos con clientes externos, Caracas: Fondo Editorial FINTEC,1995. pp. 41-63.

CARVALHO, S. T. Acuerdos industriales y actores sociales: la interación entre la Industria y la Facultad de Ingenieria de Alimentos de la Unicamp. In: VESSURI, H. (Org.). La academia va al mercado: relaciones de científicos académicos con clientes externos Caracas: Fondo Editorial FINTEC, 1995. pp.241-259.

CASTRO, M. H. Estudo dos Centros de Excelência: Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina. In: Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 4. São Paulo: NPGCT/USP, 1993. 49pp.

CASTRO, M. H. M. & BALÁN, J. Universidade versus setor produtivo: a perspectiva e a realidade da Universidade - Caso 1: Os Institutos de Física Glebb Wataghin da UNICAMP (IFGW) e o da USP (IF). São Paulo: NUPES, julho/1994a. 41pp. (Série Documentos de Trabalho, n.o 7/94)

________ Universidade versus setor produtivo: perspectiva e realidade da Universidade - Caso 2: A Faculdade de Engenharia Elétrica da UNICAMP e os três Departamentos da Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da USP. São Paulo: NUPES, agosto/1994b. 52pp. (Série Documentos de Trabalho, n.o 8/94)

________ Universidade versus setor produtivo: perspectiva e realidade da Universidade - Caso 3: O Instituto de Economia da UNICAMP (IE) e o Departamento de Economia da FEA-USP. São Paulo: NUPES, agosto/1994c. 38pp. (Série Documentos de Trabalho, n.o 9/94).

CERANTOLA, W.A. O caso do Instituto Butantan. In: Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 2. São Paulo: NPGCT/USP, 1993. 46pp.

COWEN, R. The Evaluation of Higher Education Systems. WYE, 1996. London: Koogan Page, 1996.

DIAS SOBRINHO, J. Universidade Pública e processos de Privatização da Educação Superior: papéis da Avaliação Institucional. In: Revista Avaliação, RAIES, Campinas, SP, v.2, n.4, pp. 57-64, dez.1997.

DICKSON, D. The new politics of science. Chicago: Univ. of Chicago, 1988. 403pp.

DIERDONCK e outros University-industry relationship: how does Belgian academic community feel about it? In: Research Policy, 1990.

ETZKOWITZ, H. Entrepeneurial science in the academy: a case of transformation of norms. In: Social Problems, V. 36, N. 1, p. 14-29, Feb. 1989.

________ Academic-industry relations: a sociological paradigm for economic development. In: LEYDERSDORFF L. e VAN DEN BESSLAAR, P. Evolutionary economics and chaos theory: new directions in technology studies. London: Pinter Publishers, 1994. pp. 139-151.

ETZKOWITZ, H.; PETERS, L.S. Profiting from knowledge: organizational innovations and the normative changes in American universities. Minerva, v.29, n. 2, pp. 133-166, 1991.

GOERGEN, P. A Avaliação Universitária na perspectiva da Pós-Modernidade. In: Revista Avaliação, RAIES, Campinas, SP, v.2, n.3, pp.53-65, set.1997.

HERRERA, A. Social Determinants of Science Policy in Latin America (Explicit Science Policy and Implicit Policy). In: COOPER, C. (Org.). Science, Tecnology and Development pp. 21-37. London: Frank Cass, 1973.

LEYDERSDORFF, L. & ETZKOWITZ, H. The future location of research: a triple helix of university-industry-government relations, II, 1997 (Theme paper, Conference New York city, 7-10 january 1998).

LOVERA de Sola, A. Nadando contra la corriente: I&D en la universidad. In: VESSURI, Hebe. (Org.). La academia va al mercado: relaciones de científicos con clientes externos. Caracas: Fondo Editorial Fintec, 1995. p. 321-346.

MEC – Ministério da Educação, Cultura e Desporto. Dados estatísticos da SEEC. Brasília, 1994.

MERCADO, A. La constitución del Centro de Investigaciones Químicas, Biológicas y Agrícolas de la Unicamp - el CPQBA. In: VESSURI, Hebe (Org.). La academia va al mercado: relaciones de científicos con clientes externos. Caracas: Fondo Editorial Fintec, 1995. pp. 320-345.

MERTON, R. K. Os imperativos institucionais da ciência. In: DEUS, J.D. (Org.). A crítica da ciência: sociologia e ideologia da ciência. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1970/1942. pp. 37-52 (originalmente publicado em 1942).

________ Sociologia: teoria e estrutura. São Paulo: Mestre Jou, 1970. 758pp. (tradução de Social theory and social structure)

PEREIRA, H. M. S. Estudo de Caso: INCOR - Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Cadernos de Gestão Tecnológica, n∞ 5. São Paulo: CYTED: NPGCT/USP dezembro/1993, 31pp.

PERRE, G. Las relaciones de un grupo de físicos y de engenieros de São Carlos con el setor productivo. In: VESSURI, Hebe (Org.). La academia va al mercado: relaciones de científicos con clientes externos. Caracas: Fondo Editorial Fintec, 1995. pp. 263-291.

PLONSKI, G.A. Novas alianças e parcerias em ciência, tecnologia e engenharia: a cooperação universidade-indústria. In: Anais do XV Simpósio Nacional de Pesquisa em Administração em Ciência e Tecnologia. São Paulo, 1990. pp. G-06.

QUIRINO, T. R. O programa de soja na Universidade Federal de Viçosa. Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 7. São Paulo: CYTED: NPGCT/USP, dezembro/1993. 33pp.

RACHID, A. El Departamento de Ingeniería de Materiales (DEMA) de la UFSCar. In: VESSURI, Hebe (org.) La academia va al mercado: relaciones de científicos con clientes externos. Caracas: Fondo Editorial Fintec, 1995. pp.209-239.

SBRAGIA, R. & TERRA, J.C.C. EMBRAER: Trajetória de uma empresa de alta tecnologia brasileira. Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 8. São Paulo: CYTED: NPGCT/USP, dez.1993, 31pp.

STAL, E. Metal Leve S. A. Indústria e Comércio. Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 1. São Paulo, 1993, NPGCT/USP. 25pp.

________ La contratación empresarial de la investigación universitaria. Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 23. São Paulo, 1994 NPGCT/USP. 25pp.

STEFANUTO, G. N. Los límites del éxito de la investigación académica en el ambiente industrial. In: VESSURI, Hebe (org.) La academia va al mercado: relaciones de científicos con clientes externos. Caracas: Fondo Editorial Fintec, 1995. pp. 137-162.

SUTZ, J. Universidad y sectores productivos. Buenos Aires: Centro Editor da America Latina, 1994. 97pp.

TAKAYANAGUI, A. D. La Universidad Innovadora – una estrategia para el cambio de las Universidades mexicanas en los 90´s. Cadernos de Gestão Tecnológica n.o 24. São Paulo, 1995. NPGCT/USP. 30pp.

VELHO, S. Relações universidade-empresa: desvelando mitos. Campinas, SP: Autores Associados, 1996. 154pp.

VESSURI, H.M.C. La ciencia académica em America Latina en el siglo XX. Revista de Estudios Sociales de la Ciencia (REDES), v.1, n.o 2, Buenos Aires, diciembre 1994. pp. 41-76.

________ La academia va ao mercado: relaciones de científicos con clientes externos. Caracas: Fondo Editorial Fintec, 1995. 378pp.

WEBSTER, A. J. International evaluation of academic–industry relations: context and analysis. Science and Public Policy, v. 21, n.o 2, april 1994a pp.72-78.

________ Bridging institutions: the role of contract research organization in technology transfer. Science and Public Policy, v. 21, n.o 2, april 1994b . p. 89-97.

WEBSTER, A.J. & ETZKOWITZ, H. Academic-industry relations: the second academic revolution? London: Science Policy Support Group, 1991. 31pp. (SPSG concept paper, n.o 12, não publicado)

ZIMAN, J. Research as a career. London: Science Policy Support Group, 1989. 11pp. (SPSG concept paper, não publicado).




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v3i6.4813

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat