A pedagogia da essência e as bases epistemológicas da formação do professor no Ratio Studiorum

Carlos Henrique Martins Torra, Pura Lúcia Oliver Martins, Rosa Lydia Teixeira Corrêa

Resumo


A reflexão aqui exposta visa a discutir sobre o arcabouço teórico-filosófico que sustenta a estruturação da pedagogia da essência no âmbito da prática e da ação jesuítica do início da sua fundação até a elaboração definitiva do plano de estudos da Companhia de Jesus, denominado Ratio Studiorum. Resulta da investigação da formação docente num período específico da história das práticas e ideias pedagógicas e seus distintivos peculiares, respaldada por elementos fundadores do pensamento ocidental, no tocante às bases filosóficas do conhecimento e da apropriação religiosa cristã de tais elementos. Ao formalizar a reflexão, o texto demonstra a necessidade de compreender o método desenvolvido pelos jesuítas nas inserções pedagógicas levadas a efeito nos Colégios da Ordem, pelo viés do princípio teórico, alimentado pelos estudos e documentos da Companhia.

Texto completo:

PT EN

Referências


ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes,

AGOSTINHO. Confissões. Trad. J. Oliveira Santos, Ambrósio de Pina e Angelo Ricci. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Os Pensadores).

ARANHA, M. L. A. História da educação. São Paulo: Moderna, 1989.

ASSUNÇÃO, P. Colégios jesuíticos e o servir a Deus: a experiência e o tempo ensinam tudo. Em Aberto, v. 21, n. 78, p. 59-76, dez. 2007.

FRANCA, L. O método pedagógico dos jesuítas: o Ratio Studiorum. Rio de Janeiro: Agir, 1952.

PUENTES, R. V. A instrumentalidade cultural da didática jesuítica: uma análise do Ratio Studiorum. Cadernos de História da Educação, v. 9, n. 2, p. 477-499, jul./dez. 2010.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 2. ed. Campinas:

Autores Associados, 2008.

SOUSA, J. M. Os jesuítas e a Ratio Studiorum: as raízes da formação de professores na Madeira. Revista Islenha, Madeira, n. 32, p. 26-46, jan./jun. 2003.

SUCHODOLSKI, B. A pedagogia e as grandes correntes filosóficas: a pedagogia da essência e a pedagogia da existência. São Paulo: Centauro, 2002.

TOMAS DE AQUINO. O ente e a essência. In: CIVITA, V. (Ed.). Seleção de textos. Trad. Luiz João Baraúna. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Os Pensadores). p. 7-22.




DOI: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.13.040.DS13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat