Educação a Distância e o uso dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem: entre o Ideal e o Possível

Alessandra Maieski, Kátia Morosov Alonso

Resumo


É indiscutível a relevância dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) como espaços de formação, devido a consolidarem “lugares/espaços” de outras e novas apropriações das práticas pedagógicas. Justamente por isso a importância de pesquisas, discussões e problematizações voltadas para os processos formativos online, assim como para o uso dos AVA. Nesse artigo, quando se fala de mediação e de interação é em uma perspectiva histórico-cultural, compreendendo que esses conceitos se configuram como elementos promotores da aprendizagem, determinando as relações e os papéis dos sujeitos nos cursos de formação on-line. Nesse sentido, esse artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de Mestrado que tem como objetivo investigar os processos e procedimentos de mediação e de interação nos cursos de formação on-line da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Para responder a tal objetivo, o problema que se propôs investigar é como os processos e procedimentos de mediação e de interação podem ser identificados nos cursos de formação on-line da UFMT? A abordagem utilizada foi qualitativa, com a metodologia da observação participante. Os resultados apontam que se faz necessária uma discussão sobre políticas públicas e institucionais, sobre o trabalho docente e do tutor, e, no caso da EaD, sobre o “lugar” do aluno no contexto da cultura digital e da sociedade conectada.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.21.070.AO08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat