Corpo privado da liberdade e o esporte: perspectivas educacionais

Laudeth Alves dos Reis, Wagner Wey Moreira

Resumo


Esse artigo objetiva analisar como os integrantes de uma instituição
socioeducativa de internação compreendem o corpo e as possibilidades
educativas da prática esportiva, nesse universo de controle corporal. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com enfoque fenomenológico do tipo descritivo. A investigação teve como cenário um centro socioeducativo em regime de privação de liberdade situado em cidade localizada no Triângulo Mineiro, MG, Brasil. A coleta dos dados foi realizada por meio de entrevista estruturada. Evidenciou, a partir dos dados, maior incidência na concepção de corpo dos adolescentes a visão dicotômica do corpo, já os agentes socioeducativos o conceberam como objeto manipulável. Em relação ao potencial educativo do esporte, os adolescentes apontaram como papel fundamental a formação humana e cidadã e os agentes socioeducativos, ratificaram o poder disciplinar do corpo. Conclui-se que os discursos dos adolescentes e dos agentes socioeducativos partem para caminhos, ora divergentes, ora convergentes, sendo indispensáveis mais estudos, pesquisas e reflexões sobre o corpo e o esporte nestas instituições privativas de liberdade.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.067.AO07

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat