A sustentabilidade de produtos e serviços enquanto pré-requisito ao consumo consciente

Jailson Souza Araújo, Karlo Messa Vettorazzi

Resumo


A relação entre consumo e meio ambiente é intrínseca, pois tudo o que consumimos, de umaforma ou outra, provêm de recursos naturais ou a partir da utilização destes. O ato de consumiré inerente à natureza humana; consumir é fazer parte da cadeia trófica e consequentementesignifica depender da natureza. Neste sentido, a proliferação de novas tecnologias gera novas formas de trabalho e, em consequência, novas formas de consumo. Esta cadeia,por sua vez, produz mudanças na sociedade, no consumo e na natureza, transformando, porfim, os objetos em bens de consumo e, paralelamente, cria novos problemas ambientais.Assim, os problemas ambientais causados pelo homem decorreram, sobretudo, do modocomo as sociedades se apropriaram, usaram, destinaram e transformaram os recursos naturais.A natureza não deve ser intocável, pois ela nos ajuda a enfrentar os desafios da mudançasocial, para dar às pessoas que vivem em estado de miséria uma condição mais digna. Todavia,isso não pode ser feito sobre bases de “crescimento a qualquer preço”, pois o meio ambienteprecisa ser considerado. Talvez a mais eficiente solução para reversão deste cenário seja aeducação ambiental do consumidor para o exercício do consumo consciente, enquanto agentesocialmente responsável em defesa do desenvolvimento e do crescimento sustentável. 

Palavras-chave


Educação ambiental. Direito à informação. Consumo consciente. Sustentabilidade ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BESSA NETTO, F. L. B. Responsabilidade social das empresas: práticas sociais e regulação jurídica. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente – MMA. Lei n. 9.795, de 27 de abril

de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, Institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Ofi cial [da] República Federativa do Brasil, Ministério do Meio Ambiente, Brasília, DF, 27 de abr. 1999. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2010.

CHEHEBE, J. R. B. Análise do ciclo de vida do produto. Rio de Janeiro:

Qualitymark, 2002.

INSTITUTO AKATU. Descobrindo o consumidor consciente: uma nova visão da realidade brasileira. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2008.

MILARÉ, É. Direito do ambiente: doutrina, prática, jurisprudência e glossário. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

MINISTÉRIO do Meio Ambiente centra esforços no Consumo Sustentável. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2008.

PROGRAMA das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Consumers Internacional. Consumo sustentável. 2. ed. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente: IDEC, 1998.

RESPONSABILIDADE Social das empresas: percepção do consumidor brasileiro. Instituto Ethos. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2008.

SODRÉ, M. G. Padrões de consumo e meio ambiente. Revista de Direito do Consumidor, São Paulo, n. 31, p. 25-35, jul./set. 1999.

SPINDOLA, A L S. Consumo sustentável, o alto custo ambiental dos produtos que consumimos. Revista de Direito Ambiental, v. 6, n. 24, p. 200-216, out./ dez. 2001.

VARGAS, L. A. Educação ambiental: a base para uma ação político/transformadora na sociedade. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 15, jul./dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rev.dir.econ.socioambienta.01.001.AO05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista de Direito Econômico e Socioambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

eISSN 2179-8214

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Rua Imaculada Conceição, 1155, Bloco Vermelho, Prado Velho, Curitiba/PR, Brasil, CEP 80.215-901

E-mail: revista.direito@pucpr.br

https://periodicos.pucpr.br/index.php/direitoeconomico/