Tutoria em Educação a Distância: didática e competências do novo “fazer pedagógico”

Eloiza da Silva Gomes de Oliveira, Lázaro Santos

Resumo


A Educação a Distância destaca-se no contexto educacional atual. A pesquisa que deu origem a este artigo, realizada pelo Laboratório de Estudos da Aprendizagem Humana da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, investigou o processo de tutoria do curso de Pedagogia a distância dessa Universidade. Procuramos conhecer as dificuldades encontradas e as competências necessárias para o exercício da tutoria. A necessidade da construção de uma Didática para cursos não presenciais levou-nos a estudar os processos que ocorrem no interior das práticas pedagógicas virtuais, objetivando aprimorar os processos de ensino e aprendizagem. Diante desse quadro, verificamos que muitos tutores ou docentes à frente do cenário da educação a distância não tiveram na sua formação experiências em tal modalidade. Quando se veem trabalhando nesse ambiente, configura-se um campo de novas descobertas e desafios, mas com o enfrentamento de algumas dificuldades. Os tutores que entrevistados destacaram o desenvolvimento de competências tutoriais como forma de superar tais dificuldades. Portanto, é na tensão entre as dificuldades e as competências dos tutores que acontece o surgimento do novo fazer pedagógico necessário à educação a distância. 

Texto completo:

PDF

Referências


BOLZAN, R. F. F. A. O conhecimento tecnológico e o paradigma educacional. 1998. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1998.

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia. Pedagogia dos anos iniciais do ensino fundamental. Curso do Convênio UERJ /CEDERJ; Fundação CECIERJ, 2001. (Mimeo).

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

MOORE, M. G. On a theory of independent study. In: SEWART, D.; KEEGAN, D.; HOLMBERG, B. (Ed.). Distance education: international perspectives. Londres: Croom Helm; New York: Routledge, 1983.

MORETTO, V. P. Prova - um momento privilegiado de estudo – não um acerto de contas. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: NOVOA, A. (Org.). Vidas de professores. Portugal: Porto Editora, 1992. p. 11-30.

OLIVEIRA, E. S. G.; FERREIRA, A. C. R.; DIAS, A. C. S. Tutoria em educação a distância. Avaliação e compromisso com a qualidade. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – ABED, 11., Salvador, set. 2004. Disponível em:

-d2.pdf>. Acesso em: 20 maio 2011.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

PETERS, O. A Educação a distância em transição: tendências e desafios. Novo Hamburgo: UNISINOS, 2003.

PIAGET, J. A equilibração das estruturas cognitivas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

TIGHT, M. Higher education: a part-time perspective. Buckingham: Open University Press, 1991.

VILLARDI, R.; OLIVEIRA, E. S. G. Tecnologia na educação: uma perspectiva sócio-interacionista. Rio de Janeiro: Dunya, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.7642

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat