CURRÍCULO E AVALIAÇÃO: DUAS FACES DA MESMA MOEDA NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO DE QUALIDADE SOCIAL

Ana Maria Eyng

Resumo


O direito à educação de qualidade social viabiliza-se a partir do estreito e permanente diálogo entre os pressupostos do currículo pós-crítico e da avaliação emancipatória. Com base nesse pressuposto, consideramos, para análise, a relação entre políticas de currículo e avaliação, considerando a questão: que concepções sobre currículo e avaliação transitam no espaço escolar e que efeitos produzem no jogo de forças que atuam mantendo práticas conservadoras no espaço escolar? A análise se baseia em elementos teórico-metodológicos advindos de pesquisa bibliográfica em diálogo com dados empíricos, cuja coleta foi realizada via aplicação de entrevistas individuais estruturadas com crianças e adolescentes. Na discussão, são contempladas a avaliação emancipatória, inspirada em Saul (1988), e a perspectiva pós-crítica do currículo, referendada em Silva (2009) e Eyng (2010), que se perfilam entre os condicionantes da garantia do direito à educação, conforme Santos (2010), Estevão (2013), como parâmetro à qualidade social, segundo análise de Silva (2009). Os requisitos da educação de qualidade social incluem currículos interculturais avaliados de forma emancipatória. A garantia do direito à educação, como possibilidade emancipatória, requer uma política contra-hegemônica, considerando a efetivação da qualidade social para todos e todas.

Texto completo:

PDF

Referências


BOBBIO, N. A era dos direitos . Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criançae do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativado Brasil , Brasília, DF, 14 jul. 1990. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2015.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e basesda educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil , Brasília: DF, 23 dez. 1996.Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

BRASIL. Resolução n. 4, de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil , Brasília, DF, 14 jul. 2010a. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 1, de 30 de maio de 2012. Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil , Brasília, DF, 31 maio 2012. Seção 1, página 48. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2015.

CANDAU, V. M. (Org.). Cultura(s) e educação : entre o crítico e o pós-crítico. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

CANDAU, V. M. et al. Educação em direitos humanos e formação de professores(as). São Paulo: Cortez, 2013.

DIAS SOBRINHO, J. Educação e avaliação: técnica e ética. In: DIAS SOBRINHO, J.; RISTIOFF, D. I. Avaliação democrática : para uma universidade cidadã. Florianópolis: Insular, 2001.

ESTEVÂO, C. V. Direitos humanos, justiça social e educação pública. Repensar a escola pública como um direito na era dos mercados. In: EYNG, A. M. (Org.). Direitos humanos e violências nas escolas : desafios e questões em diálogo. Curitiba: CRV, 2013.

EYNG, A. M. Currículo escolar . 2. ed. rev. e atual. Curitiba: Ibpex, 2010.

FOUCAULT, M. Governo de si e dos outros . São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FREIRE, P. Conscientização : teoria e prática da libertação, uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Moraes, 1980.

LEITE, D. Avaliação da educação superior. In: MOROSINI, M. C. (Ed.). Enciclopédia de pedagogia universitária : glossário. Brasília: INEP; RIES, 2006. v. 2. p. 459-506.

MERLE, P. Direitos dos alunos. In: ZANTEN, A. V. (Coord.). Dicionário de educação . Petrópolis: Vozes, 2011.

MONS, N. Eficácia dos sistemas educativos. In: ZANTEN, A. V. (Coord.). Dicionário de educação. Petrópolis: Vozes, 2011.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS — ONU. Convenção internacional dos direitos da criança . 1989. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2010.

SANTOS, B. S. A gramática do tempo : para uma nova cultura política. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SILVA, M. A. Qualidade social da educação pública: algumas aproximações. Cad. Cedes , v. 29, n. 78, p. 216-226, 2009.

SILVA, T. T. Documentos de identidade : uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. 11. reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SAUL, A. M. Avaliação emancipatória : desafios à teoria e à prática de avaliação e reformulação de currículo. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.15.044.DS06

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat