MANEIRAS DE PENSAR O COTIDIANO COM MICHEL DE CERTEAU

Marília Claret Geraes Duran

Resumo


Este artigo apresenta, no contexto das investigações que vêm ocorrendo no Grupo FormAção (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Educadores), a perspectiva do cotidiano escolar como uma das suas dimensões de análise em processos formativos de professores, considerando a importante contribuição de Certeau – do que ele chama “invenções cotidianas”. Analiso “paisagens em transição”, momentos de ruptura que se evidenciam no campo da formação de professores alfabetizadores, na perspectiva da proposta de organização da escola em ciclos. A análise, decorrente da problematização do caráter tático ou estratégico da política implantada, estará considerando as possibilidades ou não de os educadores e a comunidade correrem o risco de ensaios e erros, avanços e retrocessos, para somente assim encontrarem formulações que atendam às necessidades sentidas. Considerando tal perspectiva, problematizo práticas, criações e artes na escola, ouvindo a palavra de professoras, pensando a respeito de suas invenções, procurando evidenciar microdiferenças onde tantos outros apenas percebem uniformização e conformismo.

Texto completo:

PDF

Referências


CERTEAU, M. de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense, 1982.

______. A invenção do cotidiano: 1, Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

______. A cultura do plural. Campinas: Papirus, 1995. (Coleção Travessia do Século).

______. GIARD, Luce; MAYOL, Pierre. A invenção do cotidiano: 2, morar, cozinhar. Petrópolis: Artes de Fazer, 1996.

CHIZZOTTI, Antonio. O cotidiano e as pesquisas em educação. In: FAZENDA, Ivani (Org.). Novos enfoques da pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 1992.

DURAN, M. C. G. Alfabetização na rede pública de São Paulo: a história de caminhos e descaminhos do ciclo básico. Tese (Doutorado em educação) PUC, São Paulo: 1995.

______. A organização do ciclo básico e a concepção de alfabetização: memórias. Educação & Linguagem, v. 6, n. 7, p. 89-108, jan./jun. 2003.

______. ALVES, M. L; PALMA FILHO, J. C. Vinte anos da política do ciclo básico na rede estadual paulista. Cadernos de Pesquisa, v.35, n.124, p. 83-112, jan./abr. 2005.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

FREITAS, Luiz Carlos de. Ciclos, seriação e avaliação: confronto de lógicas. São Paulo: Moderna, 2003.

GIARD, Luci. História de cotidiano uma pesquisa. In: CERTEAU, M. de. A invenção do : 1, Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

GOMES, Candido Alberto. Quinze anos de ciclo no ensino fundamental: um balanço das pesquisas sobre sua implantação. Revista Brasileira de Educação, n. 25, p. 39-65, jan./abr. 2004.

ROSA, Sanny S. da. Construtivismo e mudança. São Paulo: Cortez, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v7i22.4177

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat