AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM: UM PROJETO VIVIDO

Regina Célia Brenner Kasai

Resumo


A avaliação, apesar de proclamada como parte do processo ensino - aprendizagem, mereceu sempre, no cotidiano das práticas pedagógicas, um lugar de destaque na preocupação e no imaginário de alunos e professores. O fato de alunos universitários viverem em “busca da nota” é um fato histórico. Revela o lugar que a prova e a nota ocupam durante a vida escolar. Vestibulinhos, semana de provas, divulgação em edital das notas, boletins com notas azuis e vermelhas, todos tivemos estas experiências. Mais que qualquer discurso, estes fatos mostravam, desde muito cedo, o que é importante fazer na escola para ser bom aluno. Tirar boas notas! Não é a toa o verbo que se emprega. Tirar, arrancar, extrair, fazer sair algo antes depositado, contido e agora posto à mostra, revelado.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Trad. Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1995.

BEHRENS, Marilda. O paradigma emergente e a prática pedagógica. Curitiba: Champagnat, 1999.

_____. Formação continuada dos professores e a prática pedagógica. Curitiba: Champagnat, 1996.

BOFF, Leonardo. A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana. 24. ed. Petrópolis, Vozes, 1997.

CARDOSO, Clodoaldo, M. A canção da inteireza. Uma visão holística da educação. São Paulo: Summus, 1995.

DEMO, Pedro. Avaliação qualitativa. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1987.

_____.Pesquisa e construção de conhecimento: metodologia científica no caminho de Habermas. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1994.

_____. Pesquisa: princípio científico e educativo. 5. ed. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1997

_____. Educar pela pesquisa. 2. ed. Campinas: Papirus, Autores associados, 1997.

_____. Avaliação sob o olhar propedêutico. Campinas: Papirus, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários para a prática Educativa. 9.ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.(a)

_____. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998 (b)

_____. Pedagogia do oprimido.18 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1988.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia. O cotidiano do Professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

HADJI, Charles. A avaliação, regras do jogo: das intenções aos instrumentos. Portugal: Porto Editora, 1994.

HOFFMANN, Jussara. Pontos e contrapontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 1998.

MACHADO, Nilson José. Epistemologia e didática. As concepções de conhecimento e inteligência e a prática docente. São Paulo: Cortez, 1995.

MEIRIEU, Philippe. Aprender ... sim, mas como? 7. ed. Porto Alegre : Artes Médicas, 1998.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

_____. Não mexam na minha avaliação! Para uma abordagem sistemática da mudança pedagógica. In: ESTRELA, Albano e NÓVOA, Antonio.(org.) Avaliações em educação: novas perspectivas. Porto: Porto editora, 1993.

_____. Formação inicial dos professores e profissionalização. In_____ Práticas pedagógicas, profissão docente e formação. Perspectivas sociológicas. Lisboa : Don Quixote, 1993.

POZO, Juan Ignacio. Teorias cognitivas da aprendizagem. 3. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

TRINDADE, Zuleika de S.; WACHOWICZ, Lilian, A . A distância entre a teoria e a prática da avaliação da aprendizagem na Educação Superior. In: Resúmenes do Encuentro por la unidade de los educadores latinoamericanos. Cuba, Havana, 1999.

UNESCO/CRUB. Anais da Conferencia Mundial sobre o Ensino Superior. Tendências de Educação Superior para o Século XXI, Brasília: UNESCO/CRUB, 1999.

WACHOWICZ, Lilian Anna. A dialética da avaliação da aprendizagem, na pedagogia diferenciada. In: CASTANHO, Maria Eugênia e CASTANHO, Sérgio (org.) O que há de novo na Universidade: do projeto pedagógico à prática transformadora . Campinas (SP): Papirus, 2000.

WERNECK, Hamilton. Se você finge que ensina, eu finjo que aprendo. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v1i2.3289

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat