O processo reflexivo na formação inicial de professores: diários virtuais na educação a distância

Juliana Cristina Faggion Bergmann, Marimar da Silva

Resumo


Desde o fim da década de 1990, diários reflexivos vêm sendo usados e pesquisados em cursos de formação de professores na modalidade presencial. No entanto, desconhecemos estudos sobre o uso de diários reflexivos virtuais em cursos de formação inicial de professores de língua espanhola na modalidade a distância. Nesse sentido, este estudo, de natureza qualitativa interpretativa, tem por objetivo investigar o uso de diários virtuais escritos por professores em formação inicial como instrumentos de reflexão sobre a ação logo após a docência, durante a disciplina Estágio Supervisionado do curso de Licenciatura em Letras – Espanhol, na modalidade a distância, de uma importante universidade brasileira. A análise de 30 diários virtuais revelou que os participantes refletem sobre o papel do professor e do aluno e sobre o conteúdo que ensinam, mas sua maior preocupação é descrever e julgar suas ações pedagógicas, sugerindo que atingem o primeiro dos três níveis de reflexão propostos por Zeichner e Liston (1987). A análise também mostrou que o diário reflexivo é uma ferramenta estratégica para aprender a ensinar na modalidade a distância. Os resultados deste estudo e a reflexão sobre eles podem contribuir para discussões já existentes sobre ensino-aprendizagem de línguas adicionais e sobre programas de formação de professores, tanto inicial quanto continuada.

Texto completo:

PT EN

Referências


ALMEIDA FILHO, J. C. P. Dimensões comunicativas no ensino de línguas.

Campinas: Pontes, 1993.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org.). O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes, 1999.

BERGMANN, J. C. F.; SILVA, M. Estágio supervisionado III. Florianópolis:

LLE/CCE/UFSC, 2011.

CAVALCANTI, M. C.; MOITA LOPES, L. P. Implementação de pesquisa na sala de aula de línguas no contexto brasileiro. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 17, p. 133-144, jan./jun. 1991.

CRUZ, A. A; REIS, S. O diário como instrumento de apoio na socialização de uma professora de inglês. In: GIMENEZ, T. (Org.). Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: Eduel, 2002. p. 95-108.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Ed.). Collecting and interpreting qualitative materials. Thousand Oaks: Sage, 1998.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 44. ed. São Paulo: Terra e Paz, 2005.

FREIRE, P; SHOR, I. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. São Paulo: Terra e Paz, 1986.

GREGGIO, S. The concept of the teacher as a reflective professional and

its use in English language teacher education in Brazil. 2009. 181 f. Tese

(Doutorado em Letras) — Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

LIBERALI, F. C. Agente e pesquisador aprendendo na ação colaborativa. In: GIMENEZ, T. (Org.). Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: Eduel, 2002. p. 109-128.

LIBERALI, F. C. Formação crítica de educadores: questões fundamentais.

Taubaté: Cabral Editora Universitária, 2008.

MAGALHÃES, M. C. C. O professor de línguas como pesquisador de sua ação: a pesquisa colaborativa. In: GIMENEZ, T. (Org.). Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: Eduel, 2002.

MOITA LOPES, L. P. Oficina de linguística aplicada: a natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Campinas: Mercado de Letras, 1996.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

ORTENZI, D. I. B. G.; MATEUS, E. F.; REIS, S. Alunas formandas do curso de Letras Anglo-Portuguesas: escolhas, marcos e expectativas. In: GIMENEZ, T. (Org.). Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: Eduel, 2002. p. 143-156.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

RICHARDS, J. C. The language teaching matrix. New York: Cambridge

University Press, 1990.

SÁ-CHAVES, I. Portfólios reflexivos: estratégia de formação e de supervisão. 2. ed. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2004.

SCHON, D. A. The reflective practitioner: how professionals think in action. London: Temple Smith, 1983.

SILVA, M. Teacher knowledge in English language teacher education: weaving its meaning in the writings of three Brazilian applied linguistics. 2009. 231 f. Tese (Doutorado em Letras) — Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

SILVA, M.; BAZZO, V. L. Formando professores de línguas sob a ótica da investigação. In: ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO SOBRE TRABALHO DOCENTE, 1.; ENCONTRO BRASILEIRO DA REDE ESTRADO, 5., 2011, Maceió. Anais eletrônicos... Maceió: UFAL, 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2012.

SMYTH, J. Teachers’ work and the politics of reflection. American Educational Research Journal, v. 29, n. 2, p. 267-300, Sum 1992.

TELLES, J. A. Modos de representação: o espetáculo teatral como dispositivo de reflexão e representação do desenvolvimento do professor. In: VIEIRAABRAHÃO, M. H. (Org.). Prática de ensino de língua estrangeira: experiências e reflexões. Campinas: Pontes, 2004. p. 61-106.

TELLES, J. A. Pesquisa educacional com base nas artes e reflexão compartilhada: por formas alternativas de representação da docência e do conhecimento dos professores. 2005. 220 f. Tese (Livre-Docência apresentada à Faculdade de Ciências e Letras) — Universidade Estadual Paulista, Assis, 2005.

VIEIRA-ABRAHÃO, M. H. Teoria e prática na formação pré-serviço do professor de língua estrangeira. In: GIMENEZ, T. Trajetórias na formação de professores de línguas. Londrina: Eduel, 2002. p. 59-78.

WALLACE, M. J. Training foreign language teachers: a reflective approach. New York: Cambridge University Press, 1991.

WOOD, D.; BRUNER, J. S.; ROSS, G. The role of tutoring in problem solving. Journal of Child Psychology and Psychiatry, v. 17, n. 2, p. 89-100, Apr. 1976.

ZABALZA, M. A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ZEICHNER K. M.; LISTON, D. P. Teaching student teachers to reflect. Harvard Educational Review, v. 57, n. 1, p. 23-46, Spring 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.13.040.DS09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat