Avaliação da aprendizagem e deficiência intelectual na perspectiva de professores do ensino comum

Fernanda Oscar Dourado Valentim, Anna Augusta Sampaio de Oliveira

Resumo


O objetivo deste estudo é identificar e analisar as concepções de um grupo de professores do Ensino Fundamental (ciclo I) sobre deficiência intelectual e avaliação da aprendizagem escolar. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo que utilizou para investigação um roteiro de entrevista semiestruturado. Os relatos dos professores demonstraram certa fragilidade e despreparo para lidar com a inclusão escolar dos alunos com deficiência intelectual e, consequentemente, dificuldade de avaliar suas condições de aprendizagem. Verificou-se ainda que a avaliação utilizada por eles caracteriza-se por ser pouco dinâmica e baseia-se, essencialmente, na utilização de instrumentos quantitativos e de mensuração, que pouco orientam o processo de ensino e aprendizagem e, dessa forma, não contribuem para a efetivação da inclusão escolar desses alunos.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, A. M. B. Caminhos e descaminhos da avaliação do deficiente mental. 2003. 185 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2003.

A. A.; MARTINEZ, A. M. O sujeito com deficiência mental: processos

de aprendizagem na perspectiva histórico-cultural. In: JESUS, D. M. et al. (Org.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2007. p. 43-53.

CAPELLINI, V. L. M. F. A inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais em classes comuns: avaliação do rendimento acadêmico. 2001. 237 f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) — Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2001.

CARNEIRO, M. S. C. A deficiência mental como produção social: de Itard à abordagem histórico-social. In: BAPTISTA, C. R. (Org.). Inclusão e escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre: Mediação, 2009. p. 137-152.

DE CARLO, M. M. R. P. Os processos interativos no desenvolvimento humano e a questão da (des)institucionalização das pessoas com deficiência. In: MANZINI, E. J. (Org.). Inclusão e acessibilidade. Marília: ABPEE, 2006. p. 133-151.

ESTEBAN, M. T. Ser professora: avaliar e ser avaliada. In: ESTEBAN, M. T. (Org.). Escola, currículo e avaliação. São Paulo: Cortez, 2003. p. 13-37.

FERREIRA, M. C. C.; FERREIRA, J. R. Sobre inclusão, políticas públicas e práticas pedagógicas. In: GÓES, M. C. R.; LAPLANE, A. L. F. (Org.). Políticas e práticas de Educação Inclusiva. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2007. p. 21-48.

GARCIA, R. M. C. Políticas inclusivas na educação: do global ao local. In:

BAPTISTA, C. R.; CAIADO, K. R. M.; JESUS, D. M. (Org.). Educação especial: diálogo e pluralidade. Porto Alegre: Mediação, 2008. p. 11-23.

GLAT, R.; BLANCO, L. M. V. Educação especial no contexto de uma educação inclusiva. In: GLAT, R. (Org.). Educação inclusiva: cultura e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: Sete Letras, 2009. p. 15-35.

HOFFMANN, J. Avaliar para promover: as setas do caminho. 11. ed. Porto

Alegre: Mediação, 2009.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 1995.

LUNT, I. A prática da avaliação. In: DANIELS, H. (Org.). Vygotsky em foco: pressupostos e desdobramentos. Campinas: Papirus, 1995.

MANTOAN, M. T. E. Educação escolar de deficientes mentais: problemas para a pesquisa e o desenvolvimento. Caderno Cedes, v. 19, n. 46, set. 1998. Disponível em:

&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 21 set. 2009.

MOYSÉS, M. A. A. A institucionalização invisível: crianças que não aprendem na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

OLIVEIRA, A. A. S. Representações sociais sobre educação especial e deficiência: o ponto de vista de alunos deficientes e professores especializados. 2002. 318 f. Tese (Doutorado em Educação) — Universidade Estadual Paulista, Marília, 2002.

OLIVEIRA, A. A. S. Adequações curriculares na área da deficiência intelectual: algumas reflexões. In: OLIVEIRA, A. A. S.; OMOTE, S.; GIROTO, C. R. M. (Org.).

Inclusão escolar: as contribuições da educação especial. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2008a. p. 129-154.

OLIVEIRA, A. A. S. Currículos e programas na área da deficiência intelectual: considerações históricas e análise crítica. In: OLIVEIRA, A. A. S.; OMOTE, S.; GIROTO, C. R. M. (Org.). Inclusão escolar: as contribuições da educação especial. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2008b. p. 111-127.

OLIVEIRA, A. A. S.; CAMPOS, T. E. Avaliação em educação especial: o ponto de vista do professor de alunos com deficiência. Estudos em Avaliação Educacional, v.16, n. 31, p. 51-77, jan./jun. 2005.

OMOTE, S. Deficiência e não deficiência: recortes do mesmo tecido. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 1, n. 2, p. 65-73, 1994.

OMOTE, S. Diversidade, educação e sociedade inclusiva. In: OLIVEIRA, A. A. S.; OMOTE, S.; GIROTO, C. R. M. (Org.). Inclusão escolar: as contribuições da educação especial. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2008.

PADILHA, A. M. L. Práticas educativas: perspectivas que se abrem para a educação especial. Educação & Sociedade, v. 21, n. 71, p. 197-220, jul. 2000. Disponível em:

. Acesso em: 7 ago. 2010.

PLETSCH, M. D. Repensando a inclusão escolar de pessoas com deficiência mental: diretrizes políticas, currículo e práticas pedagógicas. 2009. 254 f. Tese (Doutorado em Educação) — Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

RIBETTO, A. et al. Conversas sobre avaliação e comunicação. In: ESTEBAN, M. T. (Org.). Escola, currículo e avaliação. São Paulo: Cortez, 2003. p. 101-118.

SCHÜTZ, M. R. R. S. Avaliação escolar como instrumento de mediação da aprendizagem na educação inclusiva: desafios no cotidiano escolar. 2006. 132 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2006.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas: fundamentos de defectologia. Madrid:

Visor, 1997. v. 5.

VIGOTSKI, L. S.. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Trad. Maria da Penha Villalobos. 10. ed. São Paulo: Ícone, 2006. p. 103-117.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.13.040.DS02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat