Escolas complementares na região fronteiriça do ex-Contestado (1928-1938)

Márcia Marlene Stentzler, Liane Maria Bertucci

Resumo


Neste artigo abordamos a criação e transformações das Escolas Complementares de Porto União (SC) e União da Vitória (PR), cidades fronteiriças criadas no final da Guerra do Contestado. Essas Escolas Complementares ofereceram, entre 1928 e 1938, oportunidades de estudos e de emprego praticamente imediato em uma área carente de professores e marcada pela convulsão, inclusive econômica, causada pelo conflito armado entre Paraná e Santa Catarina. O corpo docente e principalmente a conformação das duas instituições, a partir de determinações estaduais, resultou em peculiaridades que motivaram o trânsito de alunos que cruzaram a fronteira em busca de formação melhor e mais rápida. Em dezembro de 1938 a mudança na estrutura educacional em Santa Catarina extinguiu a formação de professores complementaristas; acontecimento que repercutiu não apenas do lado catarinense da fronteira, pois interrompeu o intercâmbio de uma década motivado pelas Escolas Complementares das duas cidades, escolas cujas atividades foram produtos e concorreram para a produção de “percepções do social” (CHARTIER, 1990).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.061.DS06

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat