Contribuição da inclusão digital na afirmação de sujeitos com deficiência intelectual

Rita Vieira Figueiredo, Silvia Roberta da Mota Rocha, Jean Robert Poulin

Resumo


A relevância da língua escrita na participação social e na subjetivação, bem como a dificuldade de sua apropriação por pessoas com deficiência intelectual motivou a realização desta pesquisa. O estudo investigou os efeitos da comunicação digital via Facebook na emergência de estratégias cognitivas e na subjetivação de pessoas com deficiência intelectual em contexto de mediação. Trata-se de uma pesquisa qualitativa com orientação sócio-histórica, realizada com três jovens com síndrome de Down, capazes de produzir escrita alfabética e utilizar ambientes digitais. Cada sujeito participou de oito sessões mediadas por estudantes de Pedagogia. Os resultados revelam a emergência de estratégias cognitivas, as quais foram ampliadas ao término do estudo. Por outro lado, houve a diminuição das estratégias de mediação. Os dados sugerem que a rede social Facebook e as estratégias de mediação utilizadas naquele ambiente digital contribuíram para a subjetivação dos participantes. Tais resultados foram evidenciados pela ampliação das interações sociais e pelo uso da função social da escrita com autorepresentação, autonomia e autoafirmação. Desse modo, houve a ressignificação de subjetividades de dominação, em subjetividades afirmativas. O estudo permite concluir que a comunicação digital via Facebook contribuiu para o processo de inclusão digital dos sujeitos, desnaturalizando a ideologia da deficiência/normalidade, importante aspecto fomentador de escolas e sociedades acolhedoras.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.19.061.AO05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat