Educação Aberta, Cibercultura e DocênciaS no Ensino Superior: percursos e experiências no Brasil e em Portugal

Adriana Rocha Bruno, Judilma Aline Silva, Maria Manuela Franco Esteves

Resumo


Em meio ao cenário contemporâneo que exige que os processos formativos para/com as docências no Ensino Superior se dêem numa interface com a cultura digital, o presente artigo apresenta pesquisas que tensionam as formas com que as Instituições públicas de Ensino Superior, em Portugal e no Brasil, têm produzido ações convergentes com tais demandas. O texto apresenta ideias basilares para a discussão dos dados, como Educação Aberta, Cibercultura, docência no Ensino Superior, e traz recortes de pesquisas realizadas pelas autoras, respectivamente, em níveis de pós-doutorado (em Portugal) e de doutorado (no Brasil). Os dados produzidos nas pesquisas evidenciam avanços nos processos de formação continuada para a docência no Ensino Superior (ES), entretanto eles ainda são desenvolvidos de modo pouco conexo com a composição de uma cultura mediada por tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC), e as ações formativas, com poucas exceções, se distanciam das potencialidades trazidas pela cibercultura como aquela que traz dispositivos, interfaces e relações fomentadoras de aprendizagens convergentes com os estudantes e os docentes do século XXI.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.18.056.DS01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Diálogo Educacional