A criança, as culturas infantis e o amplo sentido do termo brincadeira

Nélio Eduardo Spréa, Marynelma Camargo Garanhani

Resumo


Este texto apresenta conceitos e propõe reflexões sobre a relação entre as brincadeiras infantis produzidas no cotidiano da escola, em momentos de recreio, e os elementos sociodinâmicos que contextualizam a cultura das crianças. Os significados dos termos jogo, brinquedo e brincadeira são analisados e contrastados, tendo em vista a ação lúdica produzida pela experiência da criança que brinca. Com base nos estudos de Florestan Fernandes (2004), são assinaladas as formas de socialização implicadas na atividade lúdica dos grupos infantis, a função de transmissão cultural exercida pelas brincadeiras e a dimensão criativa do brincar, que faz das crianças agentes de sua socialização e produtoras de culturas infantis.

Texto completo:

PDF

Referências


BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 2006.

CORSARO, W. A. Reprodução interpretativa e cultura de pares. In: MÜLLER, F.;CARVALHO, A. M. A. C. (Org.). Teoria e prática da pesquisa com crianças: diálogos com William Corsaro. São Paulo: Cortez, 2009.

FERNANDES, F. Folclore e mudança social na cidade de São Paulo. São Paulo: M. Fontes, 2004.

FORQUIN, J.-C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1993.

GARANHANI, M. C. Concepções e práticas pedagógicas de educadoras de pequena infância: os saberes sobre o movimento corporal da criança. 2004. Tese (Doutorado em Psicologia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

KISHIMOTO, T. M. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis: Vozes, 1993.

MAFRA, L. de A. A sociologia dos estabelecimentos escolares: passado e presente de um campo de pesquisa em reconstrução. In: ZAGO, N.; CARVALHO, M. P.; VILELA, R. A. T. (Org.). Itinerários de pesquisa. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 109-136.

PLAISANCE, E. Para uma sociologia da pequena infância. Educação e sociedade, Campinas, v. 25, n. 86, p. 221-241, abr. 2004. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2014.

SARMENTO, M. J. Imaginário e culturas da infância. Texto produzido para o projeto POCTI/CED/49186/2002. Braga: Instituto de Estudos da Criança; Universidade do Minho, 2002.

SARMENTO, M. J. As culturas da infância nas encruzilhadas da segunda modernidade. In: SARMENTO, M. J.; CERISARA, A. B. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: ASA, 2004.

SOUZA, F. de. Os jogos de mãos: um estudo sobre o processo de participação orientada na aprendizagem musical infantil. 2009. 221 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009.

SPRÉA, N. A invenção das brincadeiras: um estudo sobre a produção das culturas infantis nos recreios de escolas em Curitiba. 2010. 234 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: M. Fontes, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.043.DS04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat