O PROCESSO DE HOMINIZAÇÃO: FREUD INTERPRETANDO NIETZSCHE

Fernanda Silveira Corrêa

Resumo


O presente artigo relaciona as concepções filogenéticas freudianas com as concepções sobre a formação da cultura apresentadas por Nietzsche em a Genealogia da moral. Analisamos o mito filogenético da era glacial enviado por Freud a Ferenczi em 1915 e relacionamos cada uma de suas partes com as teses nietzscheanas. Interpretamos as duas partes do mito – a primeira, correspondente às vivências da humanidade na era glacial que criaram as condições para a formação da psicologia do pai primitivo e da horda primitiva, e a segunda, correspondente às vivências dos filhos submetidos ao poder do pai primitivo que criaram as condições para o ato parricida e a constituição da cultura – a partir da diferença proposta por Nietzsche entre credores e devedores, entre a moral dos senhores e a moral dos escravos. A comparação com as teses de Nietzsche possibilita-nos delinear aspectos do pai primitivo freudiano que estão ausentes no texto principal de Freud sobre a filogênese: Totem e tabu, mas que estão presentes em textos posteriores ao mito da era glacial. Evidencia o pai primitivo como um ser livre, um artista capaz de dar uma forma a si mesmo e constituir a horda. Por outro lado, tal comparação revela a lógica entre a vivência dos filhos de serem castrados e a disposição que ela constitui, o prazer na dor. Mostrada a correspondência entre as duas teorias interpretamos o próprio texto Totem e tabu, ou melhor, o mito do parricídio, como uma interpretação, uma complementação de Freud à genealogia nietzscheana

Texto completo:

PDF

Referências


FREUD, Sigmund. Projeto de uma psicologia. Tradução de Osmyr Faria

Junior. Rio de Janeiro, RJ: Imago. 1995.

______. Três ensaios sobre a teoria sexual. Drei Abhandlungen zur Sexualtheorie.

Studienausgabe. Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band 5.

______. Observações psicanalíticas sobre um relato autobiográfico

de um caso de paranóia. Psychoanalytische Bemerkungen über einen

autobiographisch beschriebenen Fall von Paranoia. Studienausgabe.

Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band 8.

______. Totem e tabu. Totem und Tabu. Studienausgabe. Frankfurt am

Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band 9.

______. Uma introdução ao narcisismo. Zur Einführung des Narzissmus.

Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band. 3.

______. Pulsões e seus destinos. Triebe und TriebsSchicksale. Studienausgabe.

Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band 3.

______. Neuroses de Transferência: uma síntese. Rio de Janeiro, RJ:

Imago, 1987.

______. Além do princípio do prazer. Jenseits des Lustprinzips. Studienausgabe.

Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band 3.

______. Psicologia das massas e análise do eu. Massenpsychologie und IchAnalyse.

Studienausgabe. Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982. Band 9.

______. O eu e o id. Das Ich und das Es. Studienausgabe, Band III.

Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch Verlag, 1982.

______. Mal estar na cultura. Das Unbehagen in der Kultur. Taschenbuch.

Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch, 1982.

______. O homem Moisés e a religião monoteísta. Der Mann Moses

und die monotheistiche Religion. Studienausgabe. Frankfurt am Main:

Fischer Taschenbuch, 1982. Band. 9.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Genealogia da moral. São Paulo, SP:

Companhia das letras. 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rfa.v17i20.8531

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.