A técnica como fenômeno ontológico e político: uma articulação entre Heidegger, Feenberg e Deleuze

Eladio Constantino Pablo Craia

Resumo


O artigo analisa uma das possíveis relações conceituais entre a questão ontológica e a reflexão política no marco do pensamento sobre a técnica. Num primeiro movimento analítico, o texto expõe os traços fundamentais da filosofia de Martin Heidegger no que diz respeito à questão da técnica, verificando sua novidade, radicalidade e fertilidade. Permanecendo no âmbito da filosofia heideggeriana, o artigo aponta certos limites e dificuldades na analítica estritamente ontológica proposta pelo pensador alemão. Em virtude destas restrições indicadas, num segundo momento o texto pondera algumas das propostas básicas da filosofia da técnica de Andrew Feenberg, implementando, deste modo, um deslocamento do puramente ontológico para o marco do político. O ponto central neste movimento é aquele que verifica que, apesar de todos os cuidados conceituais de Feenberg, a censura heideggeriana, de cunho ontológico, a qualquer intento de organização da técnica a partir das esferas da ética e da política, permanece pertinente. Finalmente, num terceiro momento, o artigo aborda a filosofia de Gilles Deleuze, expondo uma possível articulação entre política e ontologia que possa superar essa aporia de base.

Texto completo:

PDF

Referências


CRAIA, E. A problemática ontológica em Gilles Deleuze. Cascavel: Edunioeste, 2002.

CRAIA, E. Gilles Deleuze e a questão da Técnica. 2001. 295 f. Tese (Doutorado em Filosofia) — Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

DELEUZE, G. La conception de la différence chez Bergson. In: LES ÉTUDES bergsoniennes. Paris: Albin Michel, 1956. v. 4. p. 77-122.

DELEUZE, G. O atual e o virtual. In: ALLIEZ, E. Deleuze filosofia virtual. Trad. Heloisa B. S. Rocha. São Paulo: Editora 34, 1996. p. 49-57.

DELEUZE, G. Bergsonismo. Trad. Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Editora 34, 1999.

DELEUZE, G. Différence et répétition. Paris: Puf, 1993.

FEENBERG, A. Teoría crítica de la tecnología. Revista CTS, v. 2, n. 5, jun. 2005.

FEENBERG, A. Ten paradoxes of technology. Techné, v. 14, n. 1, Winter 2010.

FEENBERG, A. Transformar la tecnología: una nueva visita a la teoría crítica. Bernal: Universidad Nacional de Quilmes, 2012.

HEIDEGGER, M. A questão da técnica. Cadernos de Tradução, n. 2, p. 40-93, 1997.

HEIDEGGER, M. Carta sobre el Humanismo. Madrid: Alianza Editorial, 2000.

LÉVY, P. O que é o virtual. São Paulo: Editora 34, 1996.

PARENTE, A. (Org.). Imagem máquina. São Paulo: Editora 34, 1996.

VEAK, T. Whose Technology? Whose Modernity?: Questioning Feenberg’s Questioning Technology. Science, Technology and Human Values, v. 25, n. 2, p. 226-237, Spring 2000.

VIRILIO, P. Velocidade e política. São Paulo: Estação Liberdade; 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/aurora.27.040.DS03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.