O estatuto político do significante vazio: identidade coletiva, psicanálise e política

Daniel Omar Perez, Alexandre Starnino

Resumo


Neste artigo procuramos apresentar os elementos que possibilitam a constituição das identidades coletivas a partir de quatro conceitos fundamentais: a demanda, o significante vazio, a identificação e o gozo (la jouissance). Primeiro, revisitamos Freud trazendo a noção de identificação pensada em sua determinação política. Em seguida, buscamos justificar a especificidade da noção lacaniana de significante vazio, repensado por Ernesto Laclau enquanto um conceito político fundamental implicado na constituição e formação das identidades coletivas. Avançamos na lógica do significante e das demandas insatisfeitas que se organizam basilarmente na composição das identidades coletivas a partir de casos específicos e formalizações. Com este trabalho, temos como objetivo contribuir com a reflexão e debate psicanalítico, filosófico e político acerca das identidades políticas, sociais, de gênero, de diversidade sexual, étnicas e culturais em suas mais variadas formas.


Palavras-chave


identidade; psicanálise, política; Lacan; Laclau

Texto completo:

PDF

Referências


BUTLER, J.; LACLAU, E.; ZIZEK, S. Contingency, Hegemony, Universality: Contemporary Dialogues on the Left. 2. ed. [S.l.]: Editora Verso, 2011.

FREUD, S. O futuro de uma ilusão. Rio de Janeiro: Imago, 2006.

FREUD, S. O mal-estar na civilização. São Paulo: Cia das Letras, 2010.

FREUD, S. Obras Completas. São Paulo: Cia das Letras, 2011. v. 15: Psicologia das massas e outros textos.

HOWARTH, D. Discourse. Buckingham: Open University Press, 2000.

LACAN, J. O seminário, Livro 16 – De um Outro ao outro, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008b.

LACAN, J. O seminário, Livro 9 – A identificação. Recife: Centro de estudos Freudianos do Recife, 2003.

LACLAU, E. A Razão populista. São Paulo: Três Estrelas, 2013.

LACLAU, E. Articulación del sentido y límites de la metáfora, Santiago, Chile - El instituto de Humanidades de la universidad Diego Portales: Conferencia de 18 de mayo de 2010. (Apresentação oral).

LACLAU, E. El discurso, lo político y la dimensión ontológica: una entrevista con Ernesto Laclau: Revista de la Academia, v. 22, primavera 2016.

LACLAU, E. Emancipação e Diferença. Rio de Janeiro: Eduerj, 2011.

LACLAU, E. Los fundamentos retóricos de la sociedad. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2014.

LACLAU, E; MOUFFE, C. Hegemony and Socialist Strategy Towards a Radical Democratic Politics. 2. ed. London: British Library, 2001.

LOSURDO, D. Contra história do liberalismo. Aparecida, SP: Ideias e Letras, 2006

LE BON, G. Psicologia das multidões. Trad. Ivone Moura Delraux. Lisboa: Edições Roger Delraux, 1980. (Título original: Psychologie des foules © Presses Universitaires de France, 1895).

LEFORT, C. The Question of Democracy in Democracy and Political Theory. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1988.

PEREZ, D. O. A eliminação sistemática de pessoas e os limites do político: breve ensaio sobre a ação política. In: CASTELO BRANCO, G. (org.). Terrorismo de Estado. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

PEREZ, D. O.; STARNINO, A. (Org.). Por que nos identificamos? Curitiba: CRV, 2018.

STARNINO, A. Entre o couro e a carne: Jacques Lacan e questão da identidade e identificação. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

STARNINO, A. Freud, Lacan e Laclau: o entroncamento ardiloso entre discurso, pulsão e gozo. Voluntas, v. 11, n. 1, p. 432-453, 2020.

STARNINO, A. Sobre Identidade e identificação em Psicanálise: um estudo a partir do Seminário IX de Jacques Lacan. Revista Dois Pontos, Curitiba, v., n., p., 2016.

ZIZEK, S. Eles não sabem o que fazem: o sublime objeto da ideologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1980-5934.33.058.DS05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.