Pesquisa na formação continuada dos professores: possibilidades para uma educação estética

Luciane Maria Schlindwein

Resumo


Neste trabalho, discutimos uma modalidade de formação continuada para os professores dos anos iniciais do ensino fundamental. Tal discussão vem sendo empreendida na perspectiva de uma formação estética para os professores em serviço. A discussão está pautada em resultados de uma pesquisa longitudinal realizada entre 2004 e 2006 com um grupo de 12 professoras da rede pública de ensino. O recorte aqui apresentado pretende contribuir para os estudos sobre as possibilidades de um desenvolvimento estético na formação continuada de professores. Os resultados e análises discutem o impacto do ensino e da vivência da música na formação continuada de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. Foram realizadas oficinas com uma professora musicista, registradas em videocassete, nos quais as professoras envolvidas puderam vivenciar a música em seus aspectos de melodia, ritmo e o manuseio de alguns instrumentos de percussão, provocando-as em suas diferentes sensibilidades. A análise do material foi empreendida a partir dos pressupostos teóricos e metodológicos da Psicologia histórico-cultural, especialmente das contribuições de Vygotsky. As fitas de vídeo foram transcritas e analisadas na perspectiva de se apreender as diferentes significações atribuídas pelas professoras aos elementos musicais presentes nas vivências. Os resultados indicaram que, mais do que aprender música, o olhar sensível foi ampliado, com possibilidades de desdobramentos para o cotidiano pedagógico.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, E. S. A gerência da criatividade. São Paulo: Makron Books, 1996.

ANDRÉ, M. E. D. A. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus, 2001. p. 55-69.

ANDRÉ, M. E. D. A. Memorial, instrumento de investigação do processo de constituição da identidade docente. Contrapontos, v. 4, n. 2, p. 283-292, 2004.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: M. Fontes, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARILLI, R. Curso de estética. Lisboa: Estampa, 1994.

BELLOCHIO, C. R. Formação de professores e educação musical: a construção de dois projetos colaborativos. Revista Educação, v. 28, n. 2, p. 37-46, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Arte, 1997. v. 6.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CUNHA, M. I. Profissionalização docente: contradições e perspectivas. In: VEIGA, I. P. A. (Org.). Desmistificando a profissionalização do magistério. Campinas: Papirus, 1999. p. 127-147.

FIGUEIREDO, S. L. F. A preparação musical de professores generalistas no Brasil. Revista da ABEM, v. 11, p. 55-61, 2004.

FORQUIN, J. C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1993.

FREITAS, M. T. M. A relação do ensino, da pesquisa e da extensão com a prática de ensino e a didática. In: ROMANOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. O.; JUNQUEIRA, S. R. E. (Org.). Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa, didática e ação docente. Curitiba: Champagnat, 2004. p. 219-230.

GALVÃO, A. Expertise musical, cognição e emoção. In: SIMPÓSIO DE COGNIÇÃO E ARTES MUSICAIS, 1., 2005, Curitiba. Anais... Curitiba: Deartes; UFPR, 2005. p. 54.

GARCÍA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GIMENO SACRISTÁN, J. G. Consciência e a ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995. p. 63-92.

HENTSCHKE, L. A.; DEL BEN, L. Aula de música: do planejamento e avaliação à prática educativa. In: HENTSCHKE, L.; DEL BEN, L. (Org.). Ensino de música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo: Moderna, 2003. p. 176-189.

ILARI, B. A música e o desenvolvimento da mente no início da vida: investigação, fatos e mitos. In: SIMPÓSIO DE COGNIÇÃO E ARTES MUSICAIS, 1., 2005, Curitiba. Anais... Curitiba: Deartes; UFPR, 2005. p. 54-62.

JOLY, I. Z. L. Educação e educação musical: conhecimentos para compreender a criança e suas relações com a música. In: HENTSCHKE, L.; DEL BEN, L. (Org.). Ensino de música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo: Moderna, 2003. p. 113-126.

LIBÂNEO, J. C. Reflexividade e formação de professores: outra oscilação do pensamento pedagógico brasileiro? In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002. p. 53-79.

LOUREIRO, A. M. A. O ensino da música na escola fundamental: dilemas e perspectivas. Educação, v. 28, n. 1, 2003.

LÜDKE, M. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação & Sociedade, v. 22, n. 74, p. 77-96, 2001.

NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote; Instituto de Inovação Educacional, 1997.

PIMENTA, S. G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

PINO, A. A produção imaginária e a formação do sentido estético: reflexões úteis para uma educação humana. Pro-Posições, v. 17, n. 2, p. 47-69, 2006.

RAMALHO, B. L.; NUÑES, I. B.; GAUTHIER, C. Formar o professor, profissionalizar o ensino: perspectivas e desafios. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2004.

SANTOS, L. L. de C. P. Formação de professores e saberes docentes. In: SHIGUNOV NETO, A.; MACIEE, L. S. B. Reflexões sobre a formação de professores. Campinas: Papirus, 2002. p. 89-102.

SCHLINDWEIN, L. M. Sobre estética e formação docente: algumas considerações. In: SCHLINDWEIN, L. M.; PINO, A. S. (Org.). Estética e pesquisa na formação de professores. Itajaí: UNIVALI; Maria do Cais, 2006, v. 2, p. 31-45.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

URIARTE, M. Z. Música e escola: um diálogo com a diversidade. Educar em Revista, n. 24, p. 245-258, 2004.

VÁZQUEZ, A. S. Um convite à estética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. 6. ed. São Paulo: M. Fontes, 1996.

VYGOTSKY, L. S. Psicologia da arte. São Paulo: M. Fontes, 1999.

VYGOTSKY, L. S. A educação estética. In: VYGOTSKY, L. S. Psicologia pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2003. p. 225-248.

WEBER, S. Como e onde formar professores: espaços em confronto. Educação & Sociedade, v. 21, n. 70, p. 129-155, 2000.

ZABALZA, M. A. Diários de aula. Contributo para o estudo dos dilemas práticos dos professores. Porto: Porto Editora, 1994.




DOI: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.7205

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat