Da institucionalização do Sistema de Pós-graduação ao Plano Nacional de Pós-Graduação (2011-2020): desafios e perspectivas

Alexandre Shigunov Neto, Márcio Giusti Trevisol, Maria de Lourdes Pinto de Almeida

Resumo


O artigo é resultado da pesquisa sobre pós-graduação no Brasil a partir de sua institucionalização até o Plano Nacional de Pós-Graduação (2011-2020). O objetivo é historicizar os planos de pós-graduação, sobretudo, as questões formuladas no PNPG (2011-2020) e suas recomendações subsequentes nos relatórios 2016, 2018 e 2020. As metas e objetivos propostos nos PNPG ditam o ritmo e definem os caminhos que a nação pretende para o futuro, relacionados as pesquisas que serão desenvolvidas na pós-graduação. Ressalta-se, neste contexto, áreas são acentuadas como prioritárias, fontes de financiamento são definidas e formas de avaliação são implementadas. A reflexão sobre os PNPGs permite, além do entendimento da conjuntura política, capacitar e organizar os programas de pós-graduação para que tenham impacto na pesquisa sem perder sua identidade e compromisso com a região que estão localizados. Trata-se de uma pesquisa exploratória de cunho analítico e com coleta de dados documental. A metodologia utilizada para investigação foi a histórico-crítica. De acordo com a pesquisa, pode-se afirmar que os PNPG estão interligados com o contexto que foram gestados e revelam o projeto de nação preterido pelo (des)governo, além, de estipular como meta a consolidação da pesquisa nos mesmos níveis de competividade global, com ênfase em investigações de alto impacto para o mercado capitalista.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.21.071.AO07

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat