Vamos falar sobre ciganos? Projetos educacionais, representações e a desconstrução do estigma no ambiente escolar

Rodrigo Marques Leistner, Mabielle Pedra Fanti

Resumo


O artigo aborda as complexidades que envolvem a inserção de temáticas como “povos ciganos” e “cultura cigana” no campo educacional. Tomando como ponto de partida o histórico de ações e caracterizações preconceituosas acerca desses povos na sociedade envolvente, o texto problematiza as formas através das quais essas realidades tensas podem ser “negociadas” no âmbito da escola, a partir de duas perspectivas: (i) avaliar o modo como as representações pejorativas acerca dos ciganos e suas culturas se atualizam no ambiente escolar; (ii) verificar as possibilidades de desconstrução daquelas representações a partir da realização de projetos educacionais específicos. Para tanto, em conjunto com revisão da literatura especializada e observação de dados secundários, analisou-se um conjunto de atividades pedagógicas dedicadas às questões étnico-raciais e à temática cigana empreendidas em uma Escola Municipal de Ensino Fundamental da rede pública da cidade de Rio Grande, região sul do Rio Grande do Sul. Se por um lado evidencia-se a persistência de representações negativas acerca dos sujeitos e cultura cigana em certas comunidades escolares, avalia-se que determinados projetos educacionais potencializam o papel integrador da escola a partir de processos de reconhecimento dos diferentes saberes e da diversidade cultural e étnica da sociedade brasileira.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.21.071.AO09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat