Sistema de ensino de Singapura e plano de ação para o modelo híbrido

Aline Fonseca Gomes

Resumo


O ensino híbrido ao combinar a aprendizagem por desafios, problemas e jogos possibilita aos alunos maior engajamento, vislumbrando a utilização de metodologias ativas de aprendizagem e da sala de aula invertida. Assim, este estudo objetivou de forma geral compreender como os princípios de um modelo de ensino de excelência, baseados no o Programa Internacional de Avaliação de Alunos — PISA, podem ser utilizados pelo sistema educacional brasileiro, ao se desenvolver um plano de ação para o ensino híbrido. Foi escolhido o sistema de ensino de Singapura devido à representatividade ao longo dos anos do PISA e aos rankings alcançados nos últimos PISA, além de ser conhecido como um dos maiores centros financeiros do mundo, tendo investido em educação. Utilizou-se por metodologia uma pesquisa exploratória e ensaio teórico com análise dos dados de natureza qualitativa, ao se estudar o sistema de ensino de Singapura. Por resultados tem-se que através do plano de ação para implementação no ensino híbrido e a partir das variáveis da profissão docente, acredita-se que é possível desenvolver uma prática reflexiva, construir conexões e permitir que os docentes reflitam, compartilhem e planejem seus próprios objetivos de aprendizagem, além disso, faltam programas de formação continuada para os educadores brasileiros, disponibilizados a partir das instituições de ensino demandantes para valorizar os professores de forma efetiva, promovendo o seu desenvolvimento profissional.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.21.071.AO08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat