O corpo da deficiência sob o olhar docente no Atendimento Educacional Especializado

Liziane da Silva Barbosa, Helena Venites Sardagna

Resumo


Este artigo compõe-se do recorte de uma pesquisa que discute sobre o olhar docente no Atendimento Educacional Especializado (AEE) e as expectativas em relação aos estudantes, problematizando como professores desse serviço de apoio criam/inventam estratégias pedagógicas que incidem no corpo e nas condutas dos estudantes com deficiência, em escolas da Região Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Objetivou-se compreender e analisar governamentos engendrados nas práticas que incidem sobre os estudantes nos atendimentos em espaços denominados Salas de Recursos Multifuncionais. Buscou-se inspiração em noções foucaultianas da análise do discurso, como jogos estratégicos, sob a grade de inteligibilidade da governamentalidade enquanto arte de governar as condutas e os modos de agir socialmente, no contexto da biopolítica. O exercício analítico permitiu a organização dos resultados em eixos temáticos, quais sejam: i) Saberes especializados: o (bio)poder da medicina e da psicologia na educação; ii) As verdades sobre a família: o desencaixe em relação às expectativas do especialista; iii) A deficiência: a distinção entre normal e anormal como marcador do corpo. Conclui-se que o AEE é um campo de disputa de poderes e saberes diversos que produzem desejos e vontades, e inventam verdades que transformam os sujeitos com deficiência em um corpo teórico — um corpo imaginário, manipulável e superador contumaz.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.21.070.AO02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat